TRW dá dicas na troca de válvulas do motor

A TRW destaca que as válvulas devem ser trocadas sempre que o motor for retificado por problemas como quebra da correia dentada ou desgaste anormal, por ocasião do uso de combustíveis adulterados. A substituição das válvulas não requer ajustes especiais, com exceção da folga entre seu topo e o balancin/tucho e deve-se manter todas a dimensões das guias e insertos conforme determinações do fabricante.

O assentamento pode ser observado pela marca de contato entre o inserto e a válvula e para isso pode ser utilizado um revelador fino. A colocação de querosene no duto de admissão é outra maneira de checar o assentamento. Neste caso, a válvula deve ser montada no local, com mola e pratos devidamente posicionados.

O diretor de vendas e engenharia da divisão de componentes de motores da TRW, Carlos Weiss, explica que não se deve fazer o assentamento com pastas abrasivas, pois pode alterar as características de dimensões das válvulas. Caso haja vazamento, deve-se checar se a usinagem do inserto/guia foi feita corretamente. Se existir pequenas diferenças, podem ser corrigidas com rebolos de retífica, mas se forem grandes, é necessário substituir o par inserto/guia e usiná-lo.

“Cada motor possui um regime de rotações e temperaturas de combustão determinados, não sendo recomendável adaptações ou retíficas nas válvulas que possam remover seus revestimentos especiais. Além disso, são de suma importância o ângulo da sede, o batimento e o perpendicularismo entre guia e inserto, assim como o diâmetro de referência”, complementa Weiss.

A empresa explica que as válvulas tem a função de sincronizar os tempos de funcionamento do motor por meio da vedação correta da câmara de combustão. As válvulas TRW são produzidas por meio de materiais nobres, inoxidáveis e resistentes a altas temperaturas e atmosferas corrosivas, provocadas pela combustão.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php