Realidade aumentada se aproxima do mecânico

Oficinas e concessionárias já utilizam sistemas integrados para auxiliar no reparo dos veículos. Você está preparado para essa transformação?

 

Desde o Benz Patent-Motorwagen, primeiro veículo patenteado em 1886, a história do setor automotivo se estrutura no pilar de ser um gerador de tecnologias revolucionárias para o dia a dia da sociedade. Na oficina, não é diferente: a evolução dos veículos leva o mecânico a se renovar e ser detentor de conhecimentos cada vez mais avançados. A oficina independente é um campo aberto que pode absorver tecnologias pouco conhecidas pelo mercado a qualquer momento. Veículos, sistemas e componentes se atualizam cada vez mais rápido, alguns em questão de meses, e o mecânico para não perder a clientela deve sempre buscar se adequar a essas novas demandas.

Hoje, o profissional de reparação que trabalhe com diversas marcas tem que estar preparado para receber um carro dos anos 90 e um modelo híbrido, pois ambos fazem parte da frota em circulação. Para tentar minimizar o uso de tempo na procura por informações ou até mesmo a falta de recurso financeiro por parte do mecânico para se atualizar, algumas soluções já estão sendo pensadas por grandes empresas do setor.

Já usada em outros setores da sociedade, como por exemplo em museus e videogames, a realidade aumentada vem sendo introduzida no mercado automotivo também. Basicamente, a realidade aumentada é a junção, por meio de um dispositivo, de elementos reais e virtuais com a interação do usuário. O presidente da Divisão Automotive Aftermarket da Bosch América Latina, Delfim Calixto, concorda que é essencial que o mecânico conheça essas ferramentas virtuais e pense em usá-las em seu dia a dia na oficina. “No futuro, a realidade aumentada também será outro facilitador para os profissionais, especialmente no reparo de sistemas mais sofisticados”, destaca.

 

CONECTIVIDADE NA OFICINA

 

Multinacionais do segmento automotivo estão criando ferramentas com realidade aumentada e alto grau de conectividade para que as oficinas estejam sincronizadas em tempo real com os veículos. Dados da empresa de auditoria e consultoria PwC mostram que haverá mais de 470 milhões de veículos conectados nas estradas até 2025 e validam a preocupação da indústria da manutenção automobilística em desenvolver soluções mais amplas nesse sentido.

Um dos primeiros passos para fazer um “upgrade” no trabalho da oficina é ter o máximo de informações a respeito dos veículos que chegam para a manutenção. A Bosch, por exemplo, oferece o software Connected Repair, que conecta todos os equipamentos da marca já disponíveis na oficina e permite que os dados coletados do veículo fiquem disponíveis para serem acessados em outros computadores e sistemas interligados em rede.

Por meio dessa conexão, o mecânico consegue se antecipar e ter o histórico de manutenção do veículo já disponível antes mesmo dele chegar à oficina, pois os sistemas trocarão automaticamente dados uns com os outros (carro e oficina) e o mecânico poderá acessar, em tempo real, as principais informações do fabricante para não perder tempo com possíveis erros de aplicação.

Nesse processo que busca prevenir erros antes mesmo que a manutenção comece, a Bosch ainda disponibiliza a Plataforma de Realidade Aumentada Comum (CAP). Por meio desta, o profissional consegue visualizar através de um computador, tablet ou óculos inteligentes textos e instruções explicativas, manuais ou diagramas, objetos tridimensionais, fotos ou vídeos sobre os componentes veiculares apenas apontando a câmera para o carro. Desta forma, componentes ocultos ou cabos podem ser exibidos sem a necessidade de mover qualquer peça. Segundo estudos da empresa, é possível chegar a cometer até menos 15% de erros com esse recurso.

Segundo a Bosch, a visualização prévia de componentes ocultos pode ajudar a reduzir o tempo de manutenção de 10% a 15%

A Bosch explica que essa solução de realidade aumentada inicialmente atenderá o pós-venda das montadoras (OES), já começando a ser usada no primeiro semestre de 2021 e com previsão de chegar ao mercado independente a partir da segunda metade do próximo ano.

Outro ponto importante a citar é a transparência que a conectividade na oficina leva ao cliente. Esse é um fator de extrema importância, já que o motorista se encontra cada vez mais engajado por conta da internet. Quanto mais prontamente for realizado o trabalho, menos tempo o proprietário ficará sem o veículo e mais valorizará a oficina em questão.

Engenheiros remotamente mandam informações que são projetados pelos óculos

 

REALIDADE AUMENTADA NA PRÁTICA

 

A Ford lançou em 2019 para o seu pós- -venda um projeto piloto chamado “Assistência Técnica Remota com Realidade Aumentada Ford”. A ferramenta é basicamente formada por óculos especiais equipados com uma câmera e microfone integrados a uma plataforma que tem contato direto com os engenheiros na fábrica.

O mecânico da rede se torna literalmente os olhos e ouvidos dos engenheiros durante um procedimento de manutenção, mostrando na tela dos profissionais na fábrica exatamente cada detalhe do veículo que os óculos especiais veem, e em conjunto, executam um trabalho muito mais aprofundado e consequentemente uma solução mais rápida e adequada a cada caso.

Já a BMW trabalha na busca por alternativas de realidade aumentada na oficina desde 2009. Recentemente, a empresa anunciou que seus técnicos automotivos na América do Norte já começaram a usar os óculos inteligentes TSARAVision que projetam informações técnicas e são conectados em tempo real com engenheiros na Alemanha. O especialista na fábrica pode projetar boletins técnicos e desenhos esquemáticos passo a passo no display dentro dos óculos do mecânico, bem como tirar capturas de tela e ampliar imagens para melhor visibilidade. O mecânico ainda pode abrir e visualizar documentos por meio de instruções de voz enquanto trabalha no carro.

Os óculos inteligentes da fabricante alemã também indicam ao mecânico o passo a passo do procedimento a se realizar, tais como a ordem de retirada de cada componente e a localidade e tamanho dos parafusos que vão ser extraídos.

Para se antecipar aos carros que devem estar chegando na oficina nos próximos anos, com essa mesma plataforma integrada com óculos inteligentes é possível simular um veículo e ver toda a parte elétrica do veículo por setores e ir aumentando ou diminuindo para mais detalhes.

A empresa de tecnologia alemã Re’Flekt juntamente com a Bosch também disponibiliza um aplicativo de realidade aumentada onde auxilia o mecânico a realizar o passo a passo da manutenção automotiva. No pacote de aquisição do aplicativo vem também óculos inteligentes Microsoft HoloLens que passam para o profissional, por meio de suas lentes, as instruções de manuseio e ordem de retirada de cada componente do veículo.

Por enquanto, esse aplicativo não é vendido no Brasil, mas mostra as possibilidades que desembarcarão por aqui em breve. Apesar de parecer que essas soluções estão distantes da atual realidade das oficinas brasileiras, essas ferramentas devem ser enxergadas com carinho pelo mecânico, e mostram a necessidade de o profissional estar plenamente familiarizado com plataformas de informática. Elas podem ajudar a alavancar os lucros em um momento onde a virtualidade e modo de viver está cada dia mais online. Inclusive nos veículos.

 

Texto Raycia Lima

2 comentários em “Realidade aumentada se aproxima do mecânico

  1. Olá, Rogério, existe curso sobre o tema na FEI. Entre em contato diretamente com a instituição para se informar sobre turmas e valores.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php