Raio X - Renault Sandero 1.6 2020

Facilidade para manutenções e revisões são as características do Renault Sandero 1.6 2020

 

Texto e fotos Victor Piccin

 

Levamos o Renault Sandero 2020 até a oficina PowerClass, em São Bernardo do Campo, para avaliar a mecânica e saber se é prático ou não fazer reparos em seus componentes. No caso, a versão mostrada nesta reportagem é a Zen 1.6 com o câmbio manual de cinco marchas.

MOTOR

Dentro do cofre não há novidade alguma, trata-se do motor H4M que produz 118 cv a 5.500 rpm e 16 kgfm de torque a 4.000 rpm, o comando de válvulas é duplo no cabeçote e utiliza corrente. Possui o sistema de start-stop para redução do consumo de combustível. Segundo a Renault o modelo é capaz de fazer 12,8 km/l (G)/8,6 km/l (E) em percurso urbano e 13,4 km/l (G)/ 9,2 km/l (E) no rodoviário. Estas marcas foram possíveis também porque o alternador e a e a direção eletro-hidráulica possuem um sistema inteligente que recupera energia em desacelerações e frenagens. Para ter acesso ao filtro de óleo é necessário retirar o protetor de cárter de borracha que causa um pouco de estranheza ao mecânico Nilson Patrone, proprietário da Power Class, pois o comum é utilizar protetor de metal.

Raio X - Renault Sandero 1.6 2020

REVISÃO DE ROTINA

Ao abrir o capô, o coletor de admissão que fica por cima do acesso às velas, esta em evidência, ou seja, para trocá-las é necessário retirar o coletor, o que é feito com uma chave de boca 10 mm. No total são sete parafusos, cinco na parte do cabeçote e dois na tampa de válvulas. Ainda é necessário desconectar o chicote do corpo de borboletas, sensor MAP, cânister e tomada de vácuo. As velas não são de iridium e devem ser trocadas a cada 40.000 km aproximadamente utilizando uma chave de boca 14 mm. O acesso ao filtro de ar é bem fácil, para abrir a caixa é só soltar as duas travas de segurança. O acesso ao filtro de cabine é um pouco mais restrito, pois está localizado atrás do console central.

FREIOS

Na dianteira é equipado com disco ventilado, caso seja necessário fazer a retífica do disco a espessura mínima que deve ser respeitada é de 19,8 mm. Na traseira utiliza-se freio a tambor. Para a manutenção retira-se a porca central com uma chave de boca 30 mm, ele possui um regulador automático e duas molas de retorno. A manutenção é de fácil acesso e não requer ferramentas especiais.

SUSPENSÃO

O sistema de suspensão nas versões com câmbio CVT tem sua altura elevada em 40 mm, na versão manual isso não ocorre e se mostra um pouco mais simpático. Na dianteira utiliza McPherson com molas helicoidais e na traseira, eixo de torção. O mecânico conta que a manutenção é bem simples. Para a remoção dos amortecedores traseiros é necessário abrir o porta-malas e o parafuso se encontra nos cantos do mesmo retirando o tapete de proteção.

Ficha técnica Renault Sandero