Ford confirma Fiesta 1.0 EcoBoost no Brasil movido somente a gasolina

626-FORD-FIESTA
Em workshop de novas tecnologias em motores promovido para a imprensa, a Ford confirmou que lançará no mercado nacional uma versão do Fiesta equipada com o motor EcoBoost 1.0 de três cilindros, que combina turbo, injeção direta e comando variável de válvulas na admissão e na exaustão. No entanto, o premiado propulsor, que virá da Romênia, não será flex: chegará ao Brasil movido somente a gasolina.

A fabricante não deu mais detalhes acerca da possibilidade de o motor se tornar flex no futuro, mas afirma que os motores 1.5 e 1.6 Sigma continuarão a ser oferecidos na linha Fiesta.

Conforme os números revelados, o motor EcoBoost 1.0 virá na versão com 125 cv de potência máxima a 6000 rpm e torque de 170 Nm entre 1.400 e 4.500 rpm. O diretor de engenharia Powertrain da Ford para a América do Sul, Ênio Dill Gomes, afirmou durante o evento que o motor passou por adaptações para trabalhar com a gasolina vendida nos postos brasileiros, que possui 27% de etanol.

O Fiesta 1.0 EcoBoost contará, a princípio, somente com câmbio Powershift, de 6 marchas com dupla embreagem. Nessa configuração, a Ford afirma que o modelo terá aceleração de 0 a 100 km/h em 9,6s – 20% mais rápido do que o Fiesta 1.6 Sigma com a mesma transmissão. A marca ainda afirma que, com o motor EcoBoost, o Fiesta despontará como um dos veículos mais econômicos do mercado.

Ícone do downsizing, o motor equipa um em cada cinco veículos da Ford vendidos na Europa, incluindo modelos maiores que o Fiesta, como o Focus, Mondeo, e as vans C-Max, Transit e Tourneo.

Motor Ford EcoBoost 1.0
Motor Ford EcoBoost 1.0

Sobre o motor
Produzido com bloco de ferro fundido, cabeçote e cárter de alumínio, o motor EcoBoost 1.0 de 3 cilindros combina injeção direta de combustível com bomba de alta pressão, turbo e duplo comando variável de válvulas, além de uma nova estratégia de balanceamento do motor, bomba de óleo variável, correia banhada em óleo, coletor de escape integrado no cabeçote e sistema de arrefecimento dividido.

A Ford afirma que o motor foi desenvolvido com foco na otimização da eficiência térmica e na redução de atrito entre as partes móveis internas, especialmente durante o aquecimento, quando o nível de emissões de CO2 e outros poluentes é maior.

A fabricante explica que a injeção direta de combustível, feita com eletroinjetores de alta pressão com múltiplas injeções por ciclo, elimina o desperdício de combustível nos dutos de admissão e garante uma combinação perfeita entre alta potência e eficiência. Ao mesmo tempo, produz um efeito de lavagem dos cilindros que permite uma maior massa de ar limpo por carga e reduz o fenômeno de detonação.

O duplo comando variável de válvulas, tanto na admissão como no escape, traz maior flexibilidade para otimizar a eficiência do motor sob todas as condições de funcionamento. Entre outras vantagens, ele permite a abertura tardia das válvulas de escape para melhorar o consumo de combustível e o cruzamento de válvulas para aumentar o torque em baixa rotação.

Detalhe do turbo do motor EcoBoost 1.0
Detalhe do turbo do motor EcoBoost 1.0

O turbocompressor com controle ativo trabalha com pressões de até 1,5 bar na saída e rotações de até 248.000 rpm. A bomba de óleo variável tem ajuste automático para melhorar a performance em qualquer condição, aumentando a economia de combustível.

A marca ainda aponta que a tecnologia da correia banhada a óleo reduz as perdas por atrito e traz uma economia adicional de 1% no combustível, além de tornar o funcionamento mais silencioso. O coletor de escape integrado no cabeçote permite um aquecimento mais rápido do motor e do catalisador. A montagem em peça única reduz a temperatura dos gases de exaustão e permite que o motor gire em uma faixa de rotação mais ampla com taxa ótima de mistura ar/combustível. Esse novo design também reduz o peso e permite uma operação mais suave.

O sistema de arrefecimento dividido, com duas válvulas termostáticas, melhora a distribuição de temperatura no motor para um aquecimento mais rápido do óleo e fluido na partida. Com isso, mantém a viscosidade do motor no nível ideal, melhorando o consumo de combustível e emissões. O sistema de resfriamento dos pistões, acionado pela bomba variável, é outro fator que contribui para a eficiência térmica.

Comentário em “Ford confirma Fiesta 1.0 EcoBoost no Brasil movido somente a gasolina

  1. aparenta um otimo motor ,mas fica uma duvida!!!!!??? e o nosso combustivel / sera que esse motor vai ser duravel como la fora/ .obrigado materia muito boa

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php