Cresce no mercado o número de oficinas que se especializam em apenas uma marca

Por: André Schaun e Raycia Lima

Manutenção multimarcas é comum em praticamente todas as oficinas do Brasil. Mas mecânicos monomarcas, ou seja, que trabalham apenas uma marca específica, começam a aparecer no país, mas há quem faça isso há mais de 40 anos, como a Bavária, especialista em BMW. Mas, por que algumas oficinas preferem se especializar em uma marca? Quais são as vantagens para o cliente? Será que vale a pena? Nossa equipe juntou grandes oficinas especializadas para responder essas questões.

 

Marcos Hiroshi Yoshida da oficina Híbrido Premium Auto Center, considera que ser mecânico é como ser um médico, tem que estar à procura de novos tratamentos para os problemas de um veículo diariamente. Nessa busca por alternativas, muitos profissionais começam a se especializar e focar seus trabalhos em apenas uma fabricante, as famosas oficinas monomarcas.

 

Marcos é sócio de Domingos Manoel Pereira, ambos já trabalhavam juntos na Revebras, quando então decidiram abrir a oficina multimarcas. Apesar de atender todos os tipos de marcas, Marcos e Domingos reconhecem que a especialização pode ser uma boa iniciativa para quem já tem um nome forte no mercado. Ambos não descartam a possibilidade de se especializarem em uma única fabricante no futuro. “Se você tem uma oficina especializada fica muito mais fácil da clientela procurar por você, já que sabe que ali os profissionais sabem praticamente tudo
sobre a marca e consequentemente sobre o veículo”, comenta Marcos.

 

Existem automóveis no mercado nos quais é mais fácil reparar o motor do que trocar uma lâmpada, como destaca Marcos. Além de um treinamento à altura dessas novidades, o profissional precisa das ferramentas corretas. Novas tecnologias que acompanham carros elétricos e híbridos na maioria das vezes demandam equipamentos que ainda nem existem no país. Para isso, a maioria dos profissionais procuram formar parcerias com fabricantes e até mesmo com outros colegas de profissão. Domingos ressalta que este é um momento para união da categoria: “Se não nos unirmos com quem pensa como a gente, fica difícil conquistar novos mercados”.

 

Marcos aponta que uma vantagem que as oficinas monomarcas têm é no cenário de peças. Uma empresa que trabalha só com uma fabricante tem um contato direto para compra de peças, fazendo com que os preços sejam um pouco mais em conta, o que muitas vezes não acontece com uma oficina multimarcas. Marcos comenta que nessa perspectiva o mercado fica um tanto quanto desleal: “Além das fabricantes de veículos venderem seus produtos pelo mesmo preço para um CNPJ ou CPF, nós que trabalhamos com multimarcas ainda temos que lidar com o mercado clandestino de peças falsas na internet, fazendo com que tenhamos que abaixar o valor de nossos serviços para convencer o cliente a fechar negócio”.

 

 

 

 

 

OS ESPECIALISTAS

 

Quando pensamos em marcas especializadas não podemos deixar de lado o que levou cada mecânico a começar seu negócio com tal marca. Muitas vezes, a escolha é feita pela feição que o profissional tem por tal fabricante. Os sócios Brandon Crozier, Claudiene Brito e Ricardo Landi, sempre foram apaixonados pela marca Porsche, sendo que Brandon possui 16 veículos da marca. Isso foi um estimulo para o trio criar a Flacht, oficina especializada somente na marca alemã.

 

Inaugurada em novembro desse ano no bairro dos Jardins, Zona Central de São Paulo, a oficina atende todos os tipos de modelo da Porsche, desde os mais antigos até os mais novos. Brandon explica que todos as peças e aparelhos de diagnose são genuínas da fabricante: “Cada aparelho usado na manutenção dos veículos em nossa oficina foi adquirido com o intuito de prezar a qualidade e exclusividade de nossos serviços. Quando o cliente sai da oficina, ele leva um relatório em forma de passaporte, um pendrive e um acesso na nuvem para que ele saiba de todas as formas o que fizemos em seu veículo”.

 

Por um lado, os sócios tratam de estabelecer um alto nível de atendimento, enquanto a equipe da Flacht de mecânicos composta por profissionais que atuaram por anos em corridas, como Porsche Cup, se dedicam para realizar um serviço diferenciado na hora de tratar da mecânica, alinhamento, balanceamento e estética dos modelos tão cobiçados. “A decisão por se especializar em Porsche foi tomada porque sabemos que quando uma pessoa compra um modelo da marca, provavelmente ele sempre terá um desses em sua casa, por conta do custo-benefício do veículo”, reforça Claudiene.

 

Não muito distante dali, na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo, temos a Bavária, oficina especializada em BMW há mais de 40 anos. “Apostei na marca, acreditei na marca e vi que a BMW tinha um dos melhores carros do mundo, mas nos anos de 1970 ninguém conseguia ter essa visão… Ninguém acreditava. Mas eu acreditei!”, ressalta Carmine Brantes, fundador da Bavaria.

 

Carmine trabalhou na Munique, importadora da BMW no Brasil na época, de 1970 até 1976, ano que fechou a importação para o país. Com a fronteira fechada, ele sugeriu que a empresa continuasse atendendo os modelos que já circulavam no Brasil, mas isso não aconteceu, foi então que ele montou sua própria oficina, a Bavaria Oficina e Peças.

 

Hoje, junto de seu neto e sócio, Gabriel Brantes, a Bavária tornou-se a oficina especializada em BMW com o maior estoque de peças do Brasil, além de ser a mais antiga. “É BMW? Aqui é a casa da BMW”, afirma Carmine para indicar que eles fazem manutenção em qualquer modelo, independente do ano de fabricação.

 

A única marca que a Bavária trabalha sem ser a BMW, é a Mini, que pertence ao Grupo BMW desde 1994. Dentro da oficina, é possível encontrar carros de todas as partes do Brasil, desde os mais antigos até os últimos lançamentos. “A mão de obra aqui é muito mais em conta do que na própria concessionária, onde o preço pode ser três vezes maior. “Muitos clientes procuram a nossa oficina para fazer as revisões que além do preço, conta com um conhecimento profundo dos profissionais e peças exclusivas no país. Essa é a principal vantagem de uma oficina especializada”, exalta Gabriel Brantes.

 

 

 

 

Enquanto no Centro e na Zona Oeste encontramos especialistas em Porsche e BMW, na Zona Norte da cidade temos o Sandro, especialista em Chrysler, que aprendeu a amar a marca e colocou todas suas fichas nesse negócio. Um pouco antes de começar a trabalhar com a fabricante norte americana, Sandro recebeu uma proposta para fazer parte da equipe de reparação da Ferrari. Neste mesmo dia ele recebeu o convite para também trabalhar com a Chrysler. “Não pensei duas vezes e sai da entrevista da Ferrari e fui para da Chrysler” comenta.

 

Não demorou muito para que Sandro notasse que a especialização poderia ser uma boa oportunidade de negócio: “Quando eu entrei na Chrysler percebi que havia uma demanda muito grande, então comecei a ver isso com outros olhos, ou seja, comecei ver ali uma chance de levar para o segmento independente a reparação da marca, que só ocorria por concessionária”.

 

Sua oficina Dr. American Car funciona desde 2010 e atende veículos de todo o país. “Vem gente de todo o país procurar nossos serviços, já que, além de nós, só há uma oficina independente especializada na marca em todo o Brasil”. Sandro conta que sua equipe atende de 70 a 100 veículos por mês, uma média que é motivo de orgulho para o mecânico: “Quando uma pessoa deixa seu carro aqui, ele tem a garantia que iremos tratar do veiculo como se fosse nosso”.

 

Neste viés de especialização, há casos também de quem consegue trabalhar com até mais de uma marca, como faz Osmidio Pereira Neto. O instrutor e consultor técnico no Centro Automotivo do Amapá, região Norte do Brasil, iniciou cedo na mecânica. Com 12 anos começou a trabalhar em uma concessionária Ford, e aos 14 anos fez seu primeiro curso de especialização na linha. Com passar dos anos, Osmidio viu aparecer uma nova oportunidade, pois foi chamado por seu tio para trabalhar como gerente de assistência técnica da Fiat, onde ficou por 8 anos.

 

 

 

 

Com experiência em ambas fabricantes, Osmidio então decidiu abrir uma oficina independente para atender os veículos das marcas: “O tempo que trabalhei com Fiat e Ford me fizeram pegar gosto pelas marcas e por estudar bastante”. Por conta de seu vasto conhecimento técnico, Osmidio foi chamado para integrar a equipe de instrutores do SENAI, não parando mais de dar aula sobre o setor automotivo. Hoje ele tem no Amapá uma assessoria chamada Contra Pino – Serviços e Treinamento, onde vai em várias oficinas dando auxilio na parte de gestão e ensinando sobre procedimentos da Ford e Fiat.

 

O instrutor comenta que se especializar em uma ou duas marcas foi uma das melhores escolhas que fez. “Quando se trabalha com várias marcas, os gastos são muito altos pois o mercado não para de se modernizar e lançar produtos novos. Mas quando se trabalha com determinada fabricante, fica mais fácil até mesmo de ter acesso as ferramentas de trabalho, otimizando assim o lucro”.

 

Englobando várias marcas do mesmo país, temos a MotorFast, no bairro do Brooklin, Zona Sul de São Paulo. A oficina da família Martinucci foi aberta em 1995 especializada em marcas francesas: Citroën, Peugeot e Renault. “Veículos da PSA sempre tiveram muito mais força que Renault por aqui. Nunca fomos uma oficina 100% francesa, mas por volta de 90%, o que nos tornou referência nessas marcas”, conta Bruno Martinucci, representante da terceira geração da família na MotorFast.

 

Por questões mercadológicas, a oficina tornou-se multimarcas nos últimos anos, porém, as marcas francesas ainda representam mais da metade da demanda mensal deles. “Hoje temos um reconhecimento grande nos carros da linha DS, divisão de luxo da PSA. Nesse caso eu posso dizer com convicção, nós somos referência em São Paulo em DS”, ressalta Bruno. “A grande vantagem de mecânico especializado é o preço, que é muito mais baixo do que nas próprias montadoras, além do conhecimento profundo naquilo que precisa de manutenção”, completa.

 

 

 

Ao mesmo tempo que um cliente de carro francês pode achar mão de obra especializada em São Paulo, como a MotorFast, não podemos dizer o mesmo no Rio de Janeiro, onde a PSA teve redução de concessionárias no estado. “Achar mecânico especialista em Peugeot é raríssimo no Rio de Janeiro”, pontua Celso Mattos, presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Rio de Janeiro (Sindirepa-RJ).

 

Oficinas especializadas em uma marca só é raridade como um todo no estado do Rio de Janeiro. De acordo com Mattos, no Sindirepa-RJ são 820 associados oficialmente, e destes, apenas duas oficinas são especializas em monomarcas, uma Honda e uma Toyota. Mas o cliente tem a opção de ir até a própria concessionária fazer a manutenção, o que tem sido cada vez mais raro para cliente de Peugeot e Citroën.

 

Com um mercado amplo de oficinas multimarcas, se especializar em uma só tem seus méritos e deméritos, cabendo ao mecânico decidir qual das opções se encaixa melhor em seu cotidiano. Independente da escolha, o profissional jamais deve abrir mão de continuar estudando e se aprimorando no setor, tornando-se assim cada dia mais um mecânico competente.