O-Mecanico-ed-268-motor

 

Veja como deve ser feita a substituição das correias dentada e de acessórios, incluindo a instalação correta da bomba d’água, no sedã Chevrolet Vectra 2.0 8V, motor X20XE, ano 2007

Texto: Fernando Lalli
Fotos: Alexandre Villela

 

Mecânico que é mecânico não pode ter medo de serviço, por mais trabalhoso que seja, isso é fato. Ainda mais em tempos de crise, não dá para escolher o carro que vai entrar pelos portões da oficina. Mas quem está no dia a dia da profissão sabe que, hoje, o difícil não é arrumar serviço, mas, sim, convencer o cliente a investir em manutenção preventiva. Muito cliente ainda olha para o orçamento e pede para o mecânico fazer “apenas o básico”, mesmo que isso signifique enfrentar problemas (e reparos) maiores lá na frente.

 

Veja, por exemplo, o caso do Chevrolet Vectra 2.0 8V, ano 2007, desta reportagem. O cliente comprou o carro usado e, agora, com 130 mil km rodados, resolveu parar para fazer “uma geral”, incluindo a troca da correia dentada. A reclamação? Que o carro consumia muita gasolina. Quando se abriu o capô, começou aquela novela: vazamento de óleo, correia de acessórios com rompimento, coxim do motor rachado, ruído no funcionamento, entre outros problemas que foram descobertos conforme as peças estavam sendo desmontadas.

 

“O que era para ser a simples troca de um sistema de sincronismo, com tensionador, bomba d’água e correia dentada, acabou resultando na troca do sistema completo de acessórios, com tensionador, rolamento de desvio e correia. E para precaver possíveis problemas, porque foi encontrada contaminação por óleo, tivemos que trocar também a junta da tampa de válvulas”, relata Nelson Morales, consultor técnico da Dayco, que executou o procedimento desta reportagem.

 

Kit da bomba d’água na reposição

 

Nessa hora, a responsabilidade do mecânico é apontar ao cliente todos os problemas que o veículo possui, sendo bastante claro em sua comunicação. Nelson Morales utilizou neste procedimento o kit de troca de bomba d’água que a Dayco disponibiliza na reposição para o Vectra 2.0 8V 2007 (código KTBWP2540). O kit inclui, além da bomba, a correia dentada e o tensionador, elementos de troca obrigatória para manter a qualidade do reparo.

 

A troca de todos os elementos de desgaste também faz toda a diferença. Se problemas como o vazamento de óleo e o da correia de acessórios também não fossem corrigidos, pouco adiantaria fazer apenas a troca da correia dentada, afinal, o proprietário continuaria correndo o risco de provocar um dano ainda maior e ficar parado no meio de um trajeto.

 

Desmontagem da correia de acessórios e polias

 

1. Retire a roda dianteira-direita para posteriormente ter acesso ao sistema de sincronismo.

 

ed-268-motor

 

2. Com uma chave de fenda, abra as duas abraçadeiras da mangueira do fluxo de ar do motor. Outra mangueira, esta do respiro do motor, é apenas encaixada.

 

ed-268-motor

 

3. Para ter acesso ao parafuso torx de fixação do filtro de ar, desencaixe a mangueira do cânister.

 

ed-268-motor

 

 

4. Utilize chave torx 30 para soltar o suporte do filtro de ar.

 

ed-268-motor

 

5. Remova o filtro de ar. Agora, é possível ver o coxim do motor.

 

ed-268-motor

 

6. Antes de extrair o coxim, é necessário calçar o motor de forma adequada, entre o quadro de suspensão e o cárter para o motor não arriar.

 

ed-268-motor

 

7. O coxim do motor é preso por seis parafusos: três na carroceria (que devem ser soltos com chave-soquete torx 16 mm fêmea) e três no suporte do motor (que precisam ser soltos com chave-soquete 16 mm convencional). Afrouxe todos os os parafusos antes de removê-los em definitivo.

 

ed-268-motor

 

8. Ao sacar o coxim do motor, aproveite para diagnosticar sua condição. O componente não pode apresentar rachaduras ou rompimentos na borracha. Neste veículo, Nelson percebeu que o coxim já estava danificado e que a troca era necessária.

 

ed-268-motor

 

9. Comece a retirada da correia de acessórios usando uma chave de 15 mm para movimentar o tensionador aliviando a tensão do sistema, para a retirada da correia.

 

ed-268-motor
10.  Desencaixe a correia de acessórios das demais polias (10a). Após a remoção, observe as condições da peça. Na correia retirada, Nelson identificou uma rachadura no meio de um “rib” (estria) que, com o tempo, iria causar o rompimento da peça. Neste caso, a substituição precisa ser imediata (10b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

11. Retire o tensionador da correia de acessórios. A peça está fixada ao bloco do motor por dois parafusos torx. Examinando a peça fora do veículo, Nelson percebeu que a mola interna estava sem ação, o que significa o fim da vida útil do tensionador.

 

ed-268-motor

 

12. Siga para a polia de acessórios do virabrequim, que possui quatro parafusos de fixação. Para soltá-los, utilize soquete torx fêmea 11 mm (12a). Ao retirá-lo, faça a análise de sua pista de contato com a correia. Aqui, Nelson achou um corpo estranho entre as estrias – que provavelmente foi o responsável pela rachadura identificada na correia anteriormente (12b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

13. Outra área que deve ser observada é a borracha que liga as duas partes de metal da polia, chamada de Damper. Essa borracha não pode estar solta ou trincada, porque, se estiver, vai fazer a polia girar em falso e provocar ruído – ou mesmo quebrar o virabrequim por vibração torcional.

 

ed-268-motor

 

14. Depois, solte o rolamento de desvio e remova a capa de proteção da correia dentada. A capa é presa por quatro parafusos (dois em cima, dois em baixo) que devem ser retirados com soquete torx 10 mm.

 

ed-268-motor

 

Desmontagem da correia dentada e polias

 

15. Coloque o motor em sincronismo. Gire o motor no sentido horário com chave 17 mm pela polia do virabrequim (15a) até que a marcação na polia do virabrequim coincida com a da bomba de óleo (15b). Na parte superior, a marcação da polia deve parear com a fenda na capa de proteção da correia (15c).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

16. Solte o parafuso de fixação do tensionador da correia dentada com chave 13 mm. Gire o tensionador em sentido horário para aliviar a carga sobre a correia.

 

ed-268-motor

 

17. Retire a correia dentada puxando-a com as mãos (17a). Na primeira análise, a correia retirada do Vectra desta reportagem estava começando a apresentar sinais de desgaste na lateral dos dentes – o que significa princípio de desalinhamento (17b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

18. Remova a polia tensionadora da correia dentada. A recomendação de fábrica é que o componente seja sempre substituído com a correia.

 

ed-268-motor

 

19. Em seguida, retire o suporte do coxim do motor, fixado com três parafusos torx 12mm. A localização é ruim, então, utilize as ferramentas adequadas para não espanar a cabeça dos parafusos.

 

ed-268-motor

 

20. Para remover a polia do comando de válvulas, utilizamos a ferramenta especial Raven 121011. Posicione a ferramenta e solte o torque do parafuso de fixação com chave soquete 15 mm.

 

ed-268-motor

 

21. Utilize a ferramenta especial 101008 da Raven para travar o volante. Ela deve ser aplicada no local de fixação do motor de partida. A ferramenta que também atende a outros modelos GM, veículos da PSA, Ford e Fiat.

 

ed-268-motor

 

22. O parafuso de fixação da polia da correia dentada no virabrequim deve ser solto com chave 17 mm (22a). A polia em si precisa ser retirada com uma ferramenta “saca-polia” (22b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

23. Observe a trava da polia do virabrequim, em forma de meia-lua, que serve de guia de montagem. Como essa trava trabalha solta, juntamente com uma arruela, guarde-a para não a perder.

 

ed-268-motor

 

24. Vá para os parafusos de fixação da capa de proteção. Remova-os com chave torx 10mm. Solte o conduite elétrico e o chicote do sensor de rotação, que estão presos na capa de proteção. Em seguida, remova a capa. Neste momento, será possível ver a bomba d’água.

 

ed-268-motor

 

25. Aproveite o momento para examinar as peças ao redor, além da própria capa. No veículo desta matéria, a capa estava suja de óleo de motor (25a), vindo da tampa de válvula (25b). Se isso acontecer, tanto a região atingida pelo vazamento deve ser limpa e a junta da tampa, trocada. Nelson explicou que, caso entre em contato com o óleo, a correia terá sua vida útil diminuída.

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

Remoção da bomba d’água

 

26. Girando a bomba d’água com a mão, Nelson constatou que o componente estava totalmente travado. Além do grande esforço no momento de girar a polia, havia também o ruído característico que comprovava o problema. O desgaste que a correia dentada apresentava tinha origem no travamento da bomba d’água, afirmou o especialista da Dayco. “Com o funcionamento, esse problema iria arrancar os dentes da correia”, alertou. Caso de troca mais do que obrigatória.

 

ed-268-motor

 

27. A bomba d’água deste motor é excêntrica e encaixa em qualquer posição. Isso interfere na tensão aplicada na correia. Para a instalação correta, existe um sobressalto na carcaça da bomba que deve coincidir com outro sobressalto no bloco do motor, na direção do alternador (27a). Antes de remover a peça antiga, observe a referência. Neste caso, a bomba estava deslocada, o que provocou desgaste no rotor, como veremos mais tarde (27b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

28. Para retirar a bomba d’água, solte seus três parafusos de fixação com chave allen 6 mm. Não se esqueça de posicionar um balde ou aparato semelhante para evitar que o líquido de arrefecimento caia no solo.

 

ed-268-motor

 

29. Neste veículo, a bomba continuou presa ao motor mesmo com a remoção dos parafusos. Por isso, optou-se por bater com cuidado com um martelo de neoprene – ou de ponta plástica – para soltar a peça.

 

ed-268-motor

 

Atenção: A bomba, que deveria sair livremente, estava presa ao motor pelo uso de silicone sobre o seu anel de vedação. Nunca utilize silicone para instalar a bomba d’água. A aplicação do produto nessa região não garante estanqueidade, pelo contrário: vai estragar o anel de vedação e provocar vazamento de líquido de arrefecimento. O consultor técnico da Dayco recomenda apenas o uso de uma vaselina (ou lubrificante sem base de petróleo) sobre o anel, para que a bomba possa deslizar no acerto de seu posicionamento.

 

30. Outro problema encontrado na bomba d’água removida do Vectra desta reportagem foi seu posicionamento, comentado anteriomente. Como a peça estava desalinhada, o rotor girava raspando no bloco do motor, causando desgaste tanto em suas aletas (30a) quanto na parede do bloco (30b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

Instalação da bomba d’água

 

31. Antes da instalação da bomba d’água, veja se alojamento está limpo (31a). Observe também se o anel de vedação do componente está em sua posição correta de trabalho, para não “mastigar” na instalação, o que provocaria vazamentos durante o funcionamento do motor (31b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

32. Na instalação da bomba, a referência de montagem são os ressaltos no bloco e na carcaça da peça nova, que devem coincidir.

 

ed-268-motor

 

33. Estando o posicionamento correto, reaperte os 3 parafusos de fixação. O torque é de 8 Nm.

 

ed-268-motor

 

Instalação da bomba d’água

 

Atenção: A bomba, que deveria sair livremente, estava presa ao motor pelo uso de silicone sobre o seu anel de vedação. Nunca utilize silicone para instalar a bomba d’água. A aplicação do produto nessa região não garante estanqueidade, pelo contrário: vai estragar o anel de vedação e provocar vazamento de líquido de arrefecimento. O consultor técnico da Dayco recomenda apenas o uso de uma vaselina (ou lubrificante sem base de petróleo) sobre o anel, para que a bomba possa deslizar no acerto de seu posicionamento.

 

34. Na volta da capa de proteção, fixe novamente o conduíte e o chicote do sensor de rotação.

 

ed-268-motor

 

35. Na recolocação da polia do virabrequim, não se esqueça do anel de encosto e da trava (35a). O encaixe é bem justo, mas deve ser feito com as mãos (35b), sem ferramentas adicionais. O torque do parafuso de fixação da polia é de 80 Nm (35c).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

36. O eixo de comando de válvulas possui um pino-guia para a instalação de sua polia. O torque específico é de 50 Nm e deve ser aplicado com o auxílio da ferramenta especial (ver passo 20).

 

ed-268-motor

 

37. O tensionador da correia dentada possui uma haste para a ancoragem no bloco do motor. Encaixe-a na cavidade indicada na bomba de óleo. Apenas encoste o parafuso de fixação neste momento.

 

ed-268-motor

 

38. Verifique se as polias do virabrequim e do comando de válvulas estão em sincronismo antes de colocar a correia dentada.

 

ed-268-motor

 

39. Posicione o suporte do coxim do motor antes de instalar a correia porque o parafuso de fixação inferior possui acesso dificultado com o tensionador e a correia já posicionados na tensão de trabalho. Neste parafuso, o torque é de 55 Nm.

 

ed-268-motorImportante: no procedimento desta reportagem, fizemos o contrário por uma questão de melhor visualização do passo a passo.

 

40. A correia dentada do Vectra não possui direção de rotação. Nelson sugere que a correia seja instalada com a descrição voltada para o lado do aplicador da peça, para melhor leitura.

 

41. Instale a correia dentada de baixo para cima. Ou seja, comece pela polia do virabrequim, passe pelo tensionador, depois pela bomba d’água e, por fim, encaixe-a na polia do comando de válvulas. O alinhamento deve ser perfeito.

 

ed-268-motor

 

42. Para aplicar a carga correta de trabalho na correia, utilize uma chave allen 6 mm e uma chave combinada 13 mm para ajustar o tensionador. Com a chave allen, gire o tensionador no sentido anti-horário. Faça o ponteiro passar um pouco da marcação indicada para depois acertá-lo. Segure-o neste ponto e aperte o parafuso de fixação.

 

ed-268-motor

 

Obs.: Nelson avisa que os tensionadores da linha GM nunca devem ser tensionados no sentido horário porque, dessa forma, a polia ficará voltada para cima da bomba d’água. Isso vai forçar tanto a correia como também o tensionador e a bomba d’água, diminuindo a vida útil e podendo provocar ressonância no sistema.

 

43. Gire o motor em duas voltas completas e compare novamente as marcações do sincronismo das polias do virabrequim e do comando de válvulas. Se o sistema permanecer sincronizado, dê o torque final do parafuso de fixação do tensionador da correia dentada, que é de 25 Nm.

 

ed-268-motor

 

44. A polia de acessórios do virabrequim possui apenas uma posição de montagem. A peça também possui uma referência de ponto do motor. No momento da instalação, veja se os furos dos parafusos desta polia de acessórios estão casando com as roscas na polia da correia dentada, na qual estará fixada.

 

ed-268-motor

 

45. Tanto o tensionador de acessórios quanto o rolamento de desvio devem ser substituídos na instalação de uma correia nova.

 

ed-268-motor

 

46. A correia de acessórios deve ser instalada nesta ordem: polia do virabrequim, tensionador, alternador, rolamento de desvio, polia da direção hidráulica, compressor do ar-condicionado e de volta ao virabrequim. Após a montagem, verifique se o encaixe das canaletas está perfeito.

 

ed-268-motor

 

47. Quando novo, o tensionador da correia de acessórios possui um pino para deixa-lo na posição de descanso. Para retirá-lo, após a instalação da correia, com uma chave 15 mm, movimente o parafuso da polia do tensionador no sentido horário e puxe o pino com a mão.

 

ed-268-motor

 

48. Na instalação do coxim do motor, os parafusos de fixação do coxim à carroceria (longarina)
têm torque final de 35 Nm (48a). Já os parafusos de fixação do coxim no suporte do motor devem receber torque final de 55 Nm (48b).

 

ed-268-motor

 

ed-268-motor

 

49. Não se esqueça de completar o sistema com o líquido de arrefecimento na proporção indicada entre aditivo e água desmineralizada – ou com o aditivo já pronto na proporção correta. Para o motor X20XE, a proporção da mistura deve variar entre
35% a 50% de aditivo com o restante de água desmineralizada. A capacidade do circuito de arrefecimento é de 7 litros.

 

ed-268-motor

 

Junta da tampa de válvulas

 

50. Como comentamos na desmontagem, a capa de proteção da correia dentada estava suja de óleo. Aproveitando o momento do reparo, Nelson fez a troca da junta da tampa de válvulas, que era a origem do problema, evitando assim que as novas peças sofressem contaminação. A tampa é presa por oito parafusos, que devem ser soltos de forma cruzada, de fora para dentro.

 

ed-268-motor

 

51. Basta trocar a junta de borracha e reapertar os parafusos, que também devem ser apertados de forma cruzada (agora, de dentro para fora), com torque final de 8 Nm.

 

ed-268-motor