Advertisement


20090

 

Veja os detalhes do passo a passo da troca do cilindro de roda do sistema traseiro de freios do Celta 2010, além da troca das sapatas e sangria do fluido de freio

 

icone_texto_pF. Tavares

icone_fotos_pIsabelly Otaviano

 

Para a maioria dos motoristas, segurança no trânsito se resume apenas a dirigir com cautela, respeitando as leis que nos são apresentadas. Porém, o amigo mecânico bem que isso vai além. A manutenção preventiva, muitas vezes de peças que passam despercebidas por quem é leigo no assunto, é essencial para evitar maiores problemas quando os clientes saem por aí com seus veículos.

 

Uma dessas peças é bem pequena, praticamente do tamanho de uma pilha, mas se não for reparada e conservada como se deve, pode causar grandes dores de cabeça. É o cilindro de roda, é responsável por acionar os freios de carros que possuam sistema de freio a tambor. Ao receber a pressão hidráulica do cilindro mestre, o componente empurra as sapatas contra o tambor de freio, o que gera atrito entre as peças e faz com que a roda freie e pare o automóvel.

 

20050

 

Por isso, a Revista o Mecânico traz para esta edição uma reportagem sobre troca do cilindro da roda traseira, sangria de todas as rodas e troca do fluido de freio do Celta 2010 VHC E ano 2010, que sofreu superaquecimento do sistema de freios. Quem nos ajudou nesta reportagem foi o gerente de Engenharia da Katho Auto Partes, Marcos Rogério Vitiello, fabricante dos cilindros, além dos mecânicos José Edmilson Ferreira Fernandes e Alessandro Antunes, da Veloster Auto Center. A Hi Tech Produtos Automotivos, representada por Marcelo Rodak, consultor de Negócios, e Celso Dionísio, supervisor de Produtos, forneceu o fluido para freio DOT-4 HT-6010.

 

Marcos Rogério Vitiello explica que o cilindro fabricado pela Katho é todo em alumínio anodizado, no qual o tratamento eletroquímico permite que a durabilidade da peça seja maior. “O alumínio é uma tendência mundial na fabricação de cilindros de rodas, pois os freios ABS são fabricados deste metal, então qualquer outra liga que não seja do mesmo material, possibilita a contaminação do sistema de freio devido à oxidação que libera componentes (ferrugem) que podem ocasionar problemas no sistema de freios”, complementa o gerente de Engenharia da Katho Auto Partes.

 

20053

 

Antes de começar, é importante que o amigo mecânico saiba que o torque da fixação para o cilindro de alumínio deve ser um pouco menor do que com ferro fundido, devido à diferença na resistência da rosca desses metais. Se aplicar no alumínio o mesmo torque que o do ferro, a peça pode ser danificada. Esta operação foi feita na roda esquerda, que segue o mesmo processo do lado direito.

 

Troca do cilindro de roda

 

1) Para ter acesso ao cilindro é necessária a extração da roda. Com o veículo ainda no chão, afrouxe os parafusos para, posteriormente, retirar a roda com o carro suspenso no elevador (1a).

 

20023

1a

 

Ao soltar a roda verificamos que havia um vazamento do fluido de freio, devido ao mau estado do cilindro de roda. Isso ocorreu porque o carro sofreu um superaquecimento do sistema de freios, além de ter ficado muito tempo parado, resultando em problemas nos retentores do cilindro (1b).

 

20017

1b

 

2) Após a remoção da roda, inicia-se a desmontagem do sistema de freios. Remova a capa protetora da porca do tambor de freio – neste caso, utilizamos um alicate bomba d’água para facilitar o processo.

 

20042

2

 

3) Tire a cupilha com a ajuda de um alicate (3a) e solte a porca do tambor de freio com uma chave 24 mm (3b).

 

20102

3a

 

20016

3b

 

4) A alta temperatura e desgaste dos componentes de freio deixaram o interior do tambor com uma coloração escura e azulada.

 

20058

4

 

5) Tire a presilha da sapata de freios, sempre tomando cuidado para não se machucar com a chave de fenda.

 

20034

5

 

6) Com as presilhas soltas, remova a mola de segurança e a sapata de freio (6a).

 

20062

6a

 

OBS: Durante esta reportagem, verificamos que a borracha do cilindro de freio estava com fissuras, devido ao ressecamento e excesso de temperatura do sistema de freios (6b).

 

20103

6b

 

7) Ao retirar a sapata de freios, desmonte o componente, soltando o conjunto de molas (7a). Além de danificar o cilindro de rodas, as altas temperaturas do sistema de freio, que estava travado, chegaram a mudar até a coloração da sapata (7b).

 

20045

7a

 

20072

7b

 

8) Após a remoção das lonas de freio, retire o sangrador (8a) e a alimentação do fluido (8b). Cuidado que ainda pode haver fluido no tubo: use um balde ou pano para evitar excesso de sujeiras na oficina.

 

20070

8a

 

20073

8b

 

9) Para a remoção do cilindro, solte os parafusos de fixação do espelho do tambor.

 

20018

 

20057

 

10) Os cilindros novos vêm com uma tampinha de borracha que pode ser utilizada como retentor na alimentação de fluido, para que não fique vazando óleo.

 

20028

 

11) Para excluir resíduos de fluido de freio e não contaminar as peças novas, o mecânico José Edmilson Ferreira Fernandes recomenda a limpeza do espelho do tambor de freio. Ele utiliza uma solução simples com água e sabão, ou detergente líquido. Não use produtos que possam deixar a superfície oleosa e seque a peça com um pano limpo.

 

20075

 

12) Com o espelho do tambor de freio limpo, encaixe o no cilindro na posição e no local correto (12a). Não se esqueça de retirar a válvula de sangria antes de encaixar. Fixe os parafusos, usando uma chave de 8 mm e, com a chave 10 mm (12b), a entrada do alimentador de fluido, além da válvula de sangria (12c).

 

20101

12a

 

20021

12b

 

20065

 

20088

12c

 

Montando o sistema de freio

 

13) Para montar o sistema de freio, comece ligando as lonas com o tirante, a mola de retorno e a mola de fixação das sapatas com o tirante.

 

20110

 

20081

 

14) Com um alicate de corte e um alicate universal, recolhe-se a mola do cabo de freio para encaixar no sistema de freio.

 

20078

 

20049

 

15) Após a montagem do cabo de freio de mão, trave a sapata com as travas de fixação (15a) e molas de trava (15b).

 

20041

15a

 

20091

15b

 

16) Aproveite para engraxar os rolamentos do do tambor.

 

20027

 

20026

 

17) Encaixe a panela no sistema de freio, a arruela e fixe a porca do tambor de freio. Utilize o torquímetro para aplicar o torque, que é de 30 Nm.

 

20040

 

18) Finalize fixando a cupilha na porca do tambor e a capa protetora da porca.

 

20020

 

20094

 

Sangria e troca do fluido de freio

 

19) Preencha o reservatório de fluido de freio com um frasco de 500 ml para fazer a sangria.

 

20113

 

OBS: Antes de começar a sangria, coloque uma mangueira no sangrador e um balde no chão para evitar sujeira no chão.

 

ATENÇÃO: Para fazer a sangria é necessário seguir uma ordem correta. Comece pelo freio traseiro-direito, que é o mais distante do cilindro mestre, passe para o traseiro-esquerdo, dianteiro-direito e, por fim, dianteiro-esquerdo.

 

20) Para liberar o líquido que será trocado, abra o sangrador, aperte o pedal de freio, de três a quatro vezes e feche a o sangrador. Neste caso, será necessário o auxílio de um segundo mecânico. Repita o processo até que a cor do fluido que sairá da mangueira seja da mesma cor do fluido novo que foi colocado no reservatório.

 

20051

 

21) Após a sangria, preencha o reservatório do fluido de freio até o limite demarcado. E não se esqueça de fazer um teste com os freios antes de entregar o veículo ao cliente.

 

20022

 


 

Mais informações:
Katho Auto Partes (11) 4965-6005
Hi Tech Produtos Automotivos (11) 2703-5930