Superbanner - Texaco (30/08 a 24/01/24)

Celta e Prisma: mudanças para manter o que tem de bom

Versões 2012 dos Chevrolet Celta e Prisma ganham mimos de acabamento interno uma plástica no desenho externo, mantendo o que tem de melhor: o motor 1.0 VHCE de 78 cavalos de potência

Carolina Vilanova

O visual externo mudou, o acabamento interior também, depois de uma bela repaginada, o que foi preservado na linha Chevrolet Celta e Prisma 2012 foi o motor 1.0 mais potente da categoria. Com agilidade e força, o conjunto VHCE, já na sua fase mais ecológica e econômica, continua muito bem calibrado, ajudando a dar um bom impulso nas vendas dos populares da General Motors do Brasil.

8157

Que esse mercado é o mais competitivo entre os consumidores brasileiros, não é segredo para ninguém, ainda mais quando se tem em campo adversários de peso, como Fiat Uno, Ford Ka e Volkwagen Gol, mesmo nas versões mais antigas. A vantagem da linha popular da Chevrolet tinha muito a ver com a tradição da marca e com o desempenho do motor, mas deixava de lado alguns parâmetros importantes nos dias de hoje: beleza interior e funcionalidade.

8158

Se isso era uma reclamação, o problema foi resolvido. Grande parte das mudanças da linha Celta e Prisma foram feitas dentro do veículo, que ganhou até um toque de Malibu. Mas nem por isso o desenho externo foi deixado de lado, mesmo que pequenas, as modificações foram certeiras, ficou mais bonito, mais moderno e mais com cara de carro da Chevrolet.

8165

A linha ganhou nova nomenclatura: LS (básica) e LT (mais completa), ambos os modelos ganharam nova grade, seguindo a nova identidade visual da Chevrolet. Os faróis foram escurecidos e os para-choques vêm na cor do veículo em todas as versões. As lanternas também foram escurecidas e teve como resultado um visual mais esportivo, que pode ser completado com acessórios originais disponibilizados pela montadora.

8163,

No interior, o acabamento dos bancos e o material dos painéis e portas são totalmente novos. O tecido dos bancos ganhou diferenciada e textura mais moderna, assim como os detalhes da manopla do câmbio e os botões de comando exibem um detalhe cromado bem esportivo. O volante foi aprimorado, também com um toque de esportividade e  gravata dourada em evidência.

8164

8159

O painel, também novo, recebeu iluminação na cor “Ice Blue” igual à utilizada nos modelos Malibu e Camaro. A iluminação do hodômetro, agora vem em LED, em vez de lâmpadas, ficou mais bonito e eficiente. Há mais porta-objetos dispostos, sempre em locais de fácil acesso. A linha recebeu novas mantas acústicas na parte interna do compartimento do motor para diminuir o nível de ruído do habitáculo.

8162

Pacote mecânico

Se tem um motor que a General Motors do Brasil se orgulha de ter projetado é o que equipa o Celta e, agora, o Prisma. O conjunto 1.0 Flexpower VHCE nasceu ainda na gasolina, mas foi passando por aprimoramentos tecnológicos ao longo dos anos para chegar nessa versão, mais econômica, mais ecológica e mais potente. Assim, desenvolve 78 cv de potência e 9,7 kgfm de torque com etanol, e 77 cv e 9,5 com gasolina. A versão do Prisma LT continua oferecendo o motor 1.4 Econo.Flex, que chega a 97 cv e 13,7 kgfm com etanol e 95 cv e 13,2 kgfm com gasolina.

8160

Nos testes, ambos os carros mostraram agilidade e desempenho, dentro das limitações de um propulsor 1.0 litro, com economia e torque. Numa subida, por exemplo, com o ar-condicionado ligado, não é necessário engatar a primeira, o carro sobre em segunda tranquilamente ou até mesmo em terceira se não estiver carregado.

8161

O câmbio de cinco marchas suave e preciso no engate faz um conjunto perfeito com o propulsor, mostrando muita eficiência. O conjunto de suspensão oferece estabilidade e garante uma boa dirigibilidade nos dois compactos.

8166

O sucesso dos dois modelos de entrada da marca é comemorado pela Chevrolet. “Se somarmos a produção do Prisma e do Celta, desde o lançamento deles, já tivemos mais de 1,5 milhão de unidades produzidas. Trata-se de um número expressivo e que tanto nos orgulha”, comemora o diretor geral de Marketing e Vendas da General Motors do Brasil, Ronaldo Znidarsis.

Ficha técnica – 1.0 VHCE

Modelo: N10YFH

Disposição: Transversal

Número de cilindros: 4 em linha

Cilindrada (cm3): 999

Diâmetro e Curso (mm): 71,1 x 62,9

Válvulas: OHC, duas válvulas por cilindro

Injeção eletrônica de combustível: M.P.F.I. (Multi Point Fuel Injection)

Taxa de compressão: 12,6:1

Potência máxima líquida

(ABNT NBR 5484 – ISO 1585): Etanol: 78 cv a 6.400 rpm / Gasolina: 77 cv a 6.400 rpm

Torque máximo líquido

(ABNT NBR 5484 – ISO 1585):  Etanol: 9,7 kgfm (95 Nm) a 5.200 rpm / Gasolina: 9,5 kgfm (93 Nm) a 5.200 rpm

Combustível recomendado: Gasolina comum e/ou Etanol

Rotação máxima do motor (rpm): 6.800

Bateria: 12V, 42 Ah

Alternador: 60 A (90 A com ar condicionado)


TRANSMISSÃO 1.0

Modelo: F17 Minus HR

Manual de 5 velocidades à frente sincronizadas

Relação de marchas:

Primeira: 4,27:1

Segunda: 2,35:1

Terceira: 1,48:1

Quarta: 1,05:1

Quinta: 0,80:1

Ré: 3,31:1

Diferencial: 4,87:1

CHASSIS/SUSPENSÃO 1.0

Dianteira:
Independente McPherson, molas helicoidais com carga lateral, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás

Traseira:
Semi-independente com braços oscilantes, molas tipo barril progressivas, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás

Direção:
Manual, pinhão e cremalheira (Hidráulica, pinhão e cremalheira)

Direção redução:
Manual: 22,0:1 (Hidráulica: 16,0:1)

Direção número de voltas (batente a batente):
Manual: 4,1 (Hidráulica: 2,75)

Diâmetro de giro (m):
Manual: 9,80 (Hidráulica: 9,95)

FREIOS

Tipo: Discos dianteiros, tambor traseiro

Disco diâmetro x espessura (mm):
Dianteiro: 236 x 12,7; traseiro 180 x 30

RODAS/PNEUS

Roda: 13 x 4½ (14 X 5½)

Pneus: 165/70R13 (175/65R14)

CAPACIDADES

Porta-malas (litros): 260

Carga útil (kg): 490

Tanque de combustível (litros): 54

Óleo do motor (litros): 3,25 (3,5 com o filtro)

Sistema de refrigeração (litros): 6,4


Ficha técnica – 1.4 l Econo.Flex

 Modelo: N14YFL

Disposição: Transversal

Número de cilindros: 4 em linha VHC (Very High Compression)

Cilindrada (cm3): 1.389

Diâmetro e Curso (mm): 77,6 x 73,4

Válvulas: OHC, duas válvulas por cilindro

Injeção eletrônica de combustível:   

M.P.F.I. (Multi Point Fuel Injection)

Taxa de compressão: 12,4:1

Potência máxima líquida

(ABNT NBR 5484 – ISO 1585): Etanol: 97 cv a 6.000 rpm / Gasolina: 95 cv a 6.000 rpm

Torque máximo líquido

(ABNT NBR 5484 – ISO 1585):  Etanol: 13,7 mkgf (134 Nm) a 2.800 rpm / Gasolina: 13,2  mkgf (129 Nm) a 2.800 rpm

Combustível recomendado: Gasolina comum e/ou Etanol

Rotação máxima do motor (rpm): 6.300

Bateria:
12V, 42 Ah (55 Ah com ar condicionado)

Alternador:
55 A (70 A com ar condicionado)

 TRANSMISSÃO 1.4

Modelo: F15-5 CR

Manual de 5 velocidades à frente sincronizadas

Relação de marchas:

Primeira: 3,73:1

Segunda: 2,14:1

Terceira: 1,41:1

Quarta: 1,12:1

Quinta: 0,89:1

Ré: 3,31:1

Diferencial: 3,74:1

 

CHASSIS/SUSPENSÃO

Dianteira:
Independente McPherson, molas helicoidais com carga lateral, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás, barra estabilizadora ligada a haste tensora

Traseira:
Semi-independente com braços oscilantes, molas tipo barril progressivas, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás

Direção:
Manual, pinhão e cremalheira (Hidráulica, pinhão e cremalheira)

Direção redução:
Manual: 22,0:1 (Hidráulica: 16,0:1)

Direção número de voltas (batente a batente):
Manual: 4,3 (Hidráulica: 2,75)

Diâmetro de giro (m):
Manual: 9,80 (Hidráulica: 9,95)

FREIOS

Tipo: Discos dianteiros ventilados, tambor traseiro

Disco diâmetro x espessura (mm): Dianteiro: 236 x 20; traseiro 180 x 30

RODAS/PNEUS

Rodas: 13 x 4½ (Opc.: 14 X 5½)

Pneus: 165/70R13 (Opc.: 175/65R14)

CAPACIDADES

Porta-malas (litros): 439

Carga útil (kg): 470

Tanque de combustível (litros): 54

Óleo do motor (litros): 3,25 (3,5 com o filtro)

Sistema de refrigeração (litros): 6,4 (6,6 com ar-condicionado)

 

7 comentários em “Celta e Prisma: mudanças para manter o que tem de bom

  1. Bom dia! Estava vendo a relação de engrenagens entre os cambios do modelo 1.0 e 1.4. Em que pese ser um motor menor, a 5ª marcha do motor 1.0 é mais longa que a do 1.4, esse só fica mais longo pelo diferencial. Como tenho um prisma 1.4 LT 2012, comprei a engrenagem 0,80 do cambio f17-5 minus do prisma 1.0 e vou colocar no cambio do meu 1.4. Vamos ver se “alonga” uns 10%. Assim que tiver instalado.

  2. Boa tarde.
    Tenho prisma 2014 1.0
    Som básico vidro elétrico e ar.
    Não estou achando bateria de 50 ah. Posso usar a de 45 ah? Já que a de 60 ah é muito grande ??

  3. Fernando, o ideal seria você consultar no balcão de peças de uma concessionaria, levando o número do chassi, para saber se o veículo em questão utiliza a barra. Se o modelo for originalmente dotado de barra, OK, pode instalar sem problemas. Esperamos ter ajudado. Um abraço.

  4. Olá, meu celta 2006 não têm barra estabilizada, não sei dizer se foi retirada. Posso instalar uma? Obrigado

  5. Prezado Maicon.
    Geralmente, as dianteiras são as mesmas, mas as traseiras são diferentes.
    Atenciosamente.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php