Advertisement


 

Veja o passo a passo da substituição do catalisador de escapamento em um Honda Civic EX Coupé 1997

Texto: Alessandro Reis
Foto: Rafael Guimarães

Muitas vezes ignorado, o catalisador é um componente obrigatório nos veículos. A peça do sistema de exaustão é responsável por converter em CO2, H20 e N2 os gases nocivos (CO, HC e NOx) que saem do motor, passam pelo escapamento e vão para o meio ambiente. Embora seja projetado para durar toda vida útil do veículo, por conta de falta de manutenção, falha do sistema de ignição e alimentação (carburação e/ou injeção) ele pode perder sua eficiência com o passar do tempo e precisa ser trocado. Neste passo a passo, vamos mostrar em detalhes como realizar a substituição do catalisador de um Honda Civic EX Coupé 1997.

 

“O catalisador é um equipamento obrigatório do veículo, instalado no sistema de exaustão. Sua principal função é fazer a conversão dos gases nocivos à saúde (hidrocarbonetos, monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio), resultantes da queima do combustível no motor, em gases não tóxicos”, explica Alessandro Souza, especialista de marketing e vendas da Umicore, fornecedora de catalisadores automotivos.

 

Souza alerta que a manutenção adequada do veículo é essencial para manter o bom funcionamento do componente. “Verifique regularmente todo o sistema de exaustão e também todos os componentes que interferem no sistema de exaustão como, parte elétrica, cabos, bobina, velas de ignição etc. Se a queima do combustível for inadequada, isso pode comprometer o suporte cerâmico interno responsável pela conversão dos gases nocivos”, alerta.

 

Outra dica importante é abastecer com combustível de qualidade, em postos de confiança, pois gasolina ou etanol “batizados” não apenas comprometem o bom funcionamento do motor, como também pode contaminar o catalisador, tornando o inoperante.

 

Segundo o consultor técnico da Revista O Mecânico e professor de engenharia da FMU, Fernando Landulfo, os solventes que geralmente formam as gasolinas adulteradas podem atacar os metais nobres que compõe o interior dos catalisadores, reduzindo a sua longevidade. Ele destaca ainda que, quando um catalisador está no fim da sua vida útil ou foi danificado precocemente, a peça provoca uma restrição a saída dos gases, o que prejudica seriamente o desempenho do motor e do veículo.

 

O especialista da Umicore também recomenda, na hora da troca, escolher um componente de marca conhecida, que tem de ter necessariamente a certificação do Inmetro, nome da fabricante, código de certificação e indicação da faixa de cilindrada do motor para a qual o catalisador foi projetado. São informações que devem estar gravadas na peça em alto ou baixo relevo. “Fuja dos catalisadores recondicionados, é um componente que não tem como recuperar quando perde a eficiência”, destaca Souza, lembrando que no mercado de reposição o catalisador tem de trazer garantia para funcionamento adequado durante pelo menos 40 mil km.

 

Um detalhe importante é como constatar que está na hora da troca. Em modelos mais recentes, o veículo é equipado com sonda lambda (sensor de oxigênio, responsável por ajustar o sistema de injeção) antes e depois do catalisador. “Se o nível de oxigênio for o mesmo na entrada e na saída, sinaliza que o catalisador não está funcionando e a luz de alerta da injeção acende no painel de instrumentos”, explica Humberto Cescon, supervisor de engenharia da Scapex.

 

Em carros mais antigos, como é o caso deste Civic, o sensor de oxigênio é instalado apenas na saída do escape, depois do catalisador, por isso, testes são necessários para averiguar o funcionamento correto do componente. Uma das formas de se testar é medir a temperatura de entrada e saída utilizando uma pistola infravermelha. “Como o catalisador gera calor ao converter os gases, a temperatura de saída deve ser aproximadamente 20% maior que a de entrada. Se for igual, o catalisador precisa ser substituído”, ensina Cescon. Mas o método mais seguro de se verificar o funcionamento do catalisador é medindo os gases na saída do escapamento com um analisador de gases.

 

Outro detalhe: o Civic 1997 deste passo a passo tem apenas um catalisador, do tipo “under floor”, posicionado sob o assoalho, antes do silencioso, e sua troca é mais fácil, sem requerer a retirada do protetor de cárter, por exemplo. Outros modelos, mais novos, contam com dois catalisadores – além do “under floor”, trazem outro, do tipo “closed couple”, conectado diretamente ao motor (alguns trazem o coletor de escape integrado). Essa modalidade de catalisador exige mais tempo e trabalho para a troca.

 

 

 

 

Substituição do catalisador

1. Certifique-se que os parafusos de fixação estão limpos e sem ferrugem, especialmente em veículos mais antigos. Se necessário, passe antes do procedimento um desengripante. Comece retirando os dois parafusos de fixação na entrada do catalisador, usando uma chave inglesa ou estrela de 12 milímetros na porca e outra de 14 na cabeça do parafuso.

 

 

2. Note que, na entrada do catalisador, cada parafuso traz uma mola posicionada entre a parte interna da flange do catalisador e a cabeça do parafuso, que devem ser retiradas com cuidado para aplicação na peça nova. No caso do Civic 1997, não é preciso retirar o protetor de cárter nem o protetor térmico.

 

 

3. Na sequência, remova as três porcas na saída do catalisador, antes do abafador intermediário, usando uma chave de 12 milímetros. Desencaixe e remova o catalisador velho (3b).

 

 

 

4. Ao retirar o componente, não esqueça de remover o anel de vedação (gaxeta) localizado na entrada e também a junta de vedação, posicionada na saída. Esses componentes, que são adquiridos à parte, devem ser trocados por peças novas, juntamente com o novo catalisador. “Sempre é bom trocar a junta e o anel, para evitar vazamentos que podem afetar o funcionamento do motor e elevar o consumo”, recomenda Cescon, da Scapex.

 

 

5. A peça original da Honda tem três parafusos prisioneiros fixos com porcas de 14 milímetros, enquanto o catalisador de reposição vem penas com os três respectivos furos. Portanto, é preciso colocar três novos parafusos com 10mm ou 8 mm de comprimento, reaproveitando as porcas originais, de 14 mm, apenas se estiverem em boas condições. No caso, os novos parafusos têm cabeça de 17 mm.

 

 

6. O ideal é sempre trocar a gaxeta na entrada e a junta de vedação na saída, juntamente com o catalisador. Evite reaproveitar essas peças.

 

 

7. Coloque a junta de vedação na flange de saída e a gaxeta na de entrada.

 

 

8. Após posicionar o novo catalisador, com as inscrições voltadas para baixo, coloque os parafusos com as mãos antes de proceder com seu aperto. Não esqueça que, na entrada, a cabeça dos dois parafusos e as respectivas molas vão na parte interna da flange, enquanto as porcas são colocadas na parte externa, voltadaao motor. Utilize novamente chave de 12 polegadas para a porca e de 14 para a cabeça dos parafusos. É necessário aplicar força com as mãos nas molas para a rosca dos parafusos alcançar as porcas.

 

 

9. Coloque o primeiro parafuso na entrada com pressão suficiente para o segundo parafuso também encaixar.

 

 

10. Agora chegou a hora de fixar a flange de saída do catalisador, voltada ao silencioso. Primeiramente, coloque a junta de vedação, em formato triangular, posicione os furos e coloque os novos parafusos, com a cabeça de 14 mm voltada ao catalisador e as porcas, também de 14 mm, direcionadas ao abafador intermediário.

 

 

11. Depois de colocar os cinco parafusos, dê o torque final, certificando-se que está tudo bem fixado. “Aplique torque de forma gradativa após as duas flanges encostarem de cada lado. Após isso, faça o aperto final. Não há torque específico nessa aplicação”, informa Cescon, da Scapex.

 

 

12. Após instalada a nova peça, é importante deixar o motor ligado de 10 a 15 minutos para que a manta termoexpansiva faça a vedação correta do elemento cerâmico junto à carcaça metálica. Também inspecione o sistema de escape para verificar se não há vazamentos e que tudo está fixado corretamente.

 

 

13. Com o catalisador já colocado, utilize a pistola infravermelha para medir a temperatura de entrada e de saída do catalisador para atestar se a peça nova está funcionando de forma correta. Em carros mais novos, verifique se a luz da injeção apagou.

 

 

14. Por fim, não deixe de preencher corretamente o certificado de garantia do catalisador novo, que no caso da Scapex tem 12 meses de cobertura contra defeitos de fabricação e de 40 mil km rodados para garantir as emissões adequadas.

 

 

 

Mais informações
Umicore: www.umicore.com.br
Scapex: www.scapex.com.br – 0800-754-3003