Oficina e varejo podem recuperar créditos do Simples Nacional

Setor da mecânica e do varejo de autopeças pode recuperar créditos do Simples Nacional e impulsionar negócios

Uma empresa industrial no Brasil gasta, em média, 1.950 horas por ano para apurar e cumprir as obrigações tributárias. Isso porque existem mais de 60 tributos, mais de 90 obrigações acessórias originados da União, 27 Estados e mais 5.000 municípios todos com legislações diferentes. Enquanto isso, em países como Argentina, Alemanha e México, as empresas gastam pouco mais de 200 horas/ano e ainda, Espanha, EUA e França menos de 200 horas/ano. (Fonte: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação).

Enquanto não se sabe ao certo qual a reforma tributária que será implementada no país (se é que teremos uma verdadeira reforma), o endividamento e a retração do mercado pós pandemia tem causado estragos no mundo empresarial. Empresários buscam cada vez mais soluções práticas para equilibrar suas finanças.

O que muitos não sabem é que a solução dessas pequenas e médias empresas pode estar na redução dos gastos com tributos e até na recuperação de créditos de natureza tributária (RCT). Formas lícitas e seguras de revisar tributos pagos e recuperá-los já estão ao alcance de todos, graças mais uma vez ao avanço da tecnologia. Nelas, profissionais identificam os tributos pagos indevidamente para, a partir disso, viabilizar a recuperação destes recursos, através dos procedimentos adequados.

Trata-se da avaliação e possível recuperação administrativa de impostos após análise célere e com custos apenas a partir do efetivo resultado de impostos recuperados. Seja por conta de uma classificação equivocada de produtos, pela inexistência de um sistema adequado ou falta de conhecimento de regras. Boa parte dos empresários de todos os setores não conhecem tão bem o impacto na receita de um pagamento fiscal realizado de forma errada.

No início do projeto, em meados de 2018 o principal receio seria uma fiscalização como forma de retaliação por conta do trabalho o que hoje se mostra superado. A Secretaria da Receita Federal pode fiscalizar sua empresa independentemente de fazer ou não seu pedido de recuperação tributária. Importante destacar que em 4 anos deste projeto, não tivemos nenhuma empresa fiscalizada, o que não significa que não possa ocorrer. Entretanto, a empresa recebe suporte e toda a documentação pertinente e relacionada ao trabalho. Muitas empresas que realizaram esse trabalho já estão retomando os contatos para novas análises o que comprova o sucesso do trabalho.

Como se vê, a revisão fiscal é, sem nenhuma dúvida, uma maneira excelente de otimizar as finanças da empresa, proporcionando alívio financeiro com responsabilidade e sustentabilidade ao negócio do pequeno e médio empresário.

 

Renato Marcondes Paladino é advogado e contador, especializado em Direito Tributário e Consultor Jurídico do Sincopeças-SP.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php