Superbanner - Texaco (30/08 a 24/01/24)

NGK da 3 dicas para cuidar do carro

Especialista da NGK lista os principais cuidados que o mecânico deve instruir o proprietário do veículo a prestar atenção quando o assunto é sustentabilidade

 

Manter a revisão do carro em dia é condição não apenas para assegurar o funcionamento correto dos componentes. A NGK, fabricante de velas de ignição, alerta e fornece três dicas importantes aos motoristas sobre cuidados simples relacionados a pequenas falhas de funcionamento que podem elevar o consumo de combustível e a emissão de gases poluentes, acarretando no aumento dos impactos ambientais. 

1. Manutenção das velas de ignição

As velas de ignição desgastam durante o funcionamento do motor e, quando estão gastas, a mistura de ar e combustível não é queimada de forma adequada, aumentando o consumo de etanol ou gasolina. “As montadoras recomendam nos manuais dos veículos uma determinada quilometragem para a troca. Caso não possua o manual de manutenção do veículo, o ideal é fazer a inspeção da vela uma vez por ano ou a cada 10 mil quilômetros, o que ocorrer primeiro”, aconselha o consultor de Assistência Técnica da NGK, Hiromori Mori. “As pequenas falhas em seu funcionamento, muitas vezes são negligenciadas pelos usuários, por desconsiderá-las relevantes, mas afetam o meio ambiente e aumentam o consumo de combustível”, completa.

2. Sensor de oxigênio (Sonda Lambda)

“Outra dica fundamental é procurar um mecânico de confiança para observar, durante a revisão, o sensor de oxigênio e como está o ajuste de longo prazo da mistura. Essa regulagem indica o quanto de correção o sistema está precisando aplicar no tempo de injeção”, informa Mori. Quando o ajuste está muito alto, está indicando que há algo de errado no sistema de injeção. Nem sempre um ajuste mais elevado provoca falha de funcionamento, porém sempre indica que o sistema tem que aplicar uma correção muito grande na massa de combustível que será injetada pelo sistema. Nestes casos, pode-se dizer que há algo errado no sistema de injeção. Recomenda-se que pelo menos uma vez por ano ou a cada 30 mil km o mecânico deve verificar o correto funcionamento do sensor de oxigênio, bem como o ajuste de mistura.

“Os problemas nos sistemas de ignição e injeção, além de afetar as emissões, impactam diretamente no consumo de combustível”, conta Mori. O especialista da NGK ressalta que muitas oficinas possuem equipamento de análise de gases que pode ser utilizado para checar se o automóvel emite um nível excessivo de gases poluentes.

3. Atenção ao jeito de dirigir

Além de manutenções preventivas, o mecânico deve reforçar que simples hábitos que contribuem com a preservação do veículo. “Calibrar sempre os pneus, manter o veículo alinhado e até mesmo mudar a forma de dirigir são ações sempre bem-vindas. Acelerações e frenagens mais suaves, e o uso de velocidade constante e compatível com a via, favorecem a economia de combustível e a diminuição da emissão de gases”, comenta Mori.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php