Superbanner - Texaco (30/08 a 24/01/24)

Monroe recomenda cuidados especiais com os amortecedores

Responsáveis pelo controle da movimentação das molas da suspensão e por manter os pneus em contato constante com o solo, os amortecedores são componentes que, em geral, são acionados cerca de 2.600 vezes a cada quilômetro rodado. Por conta disto, a Monroe fornece algumas dicas de manutenção deste item, para que a estabilidade e boa dirigibilidade do carro seja mantida por mais tempo.

Em sua maioria, os amortecedores são constituídos por fluido mineral e gás, seja oxigênio ou nitrogênio. Além disto, se diferenciam por sua montagem, os mais comuns são os estruturais, presentes nas suspensões MacPherson. Existem ainda os amortecedores semiestruturais, que são fixados na suspensão ou na carroceria e os convencionais, fixados nas bandejas da suspensão ou em suportes específicos. Outra diferença entre eles é que estruturais e semiestruturais são partes integrantes do veículo, já os convencionais não.

Quando está comprometido, o amortecedor pode apresentar desde desgaste prematuro dos pneus a ruídos na suspensão e perda de estabilidade. Os sinais que indicam a necessidade de manutenção são facilmente percebidos, como afundamento na aceleração ou frenagem, dificuldade de manter a direção, deformações na banda central de rodagem, entre outros.

Para a sua durabilidade, é preciso ficar atento aos limites de carga e velocidade do veículo e trafegar com cautela em vias com pisos irregulares. A Monroe recomenda que os amortecedores passem por uma avaliação a cada 10 mil quilômetros, no máximo, ou sempre que alguma anormalidade for notada.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php