Advertisement


óleo lubrificante

Não usar a viscosidade certa ou esquecer de também substituir o filtro de óleo são alguns dos erros comuns

A Mobil orienta os proprietários de motos a sempre seguirem as recomendações indicadas pelo fabricante no manual do veículo, incluindo os prazos de troca e tipo de lubrificante a ser utilizado. Vale lembrar que, caso as orientações não sejam obedecidas, pode ocorrer a redução na vida útil do motor.

Para auxiliar, a empresa lista a seguir os erros mais comuns:

- Publicidade -

Não trocar o óleo ou atrasar a troca

Alguns proprietários adiam a troca completa do lubrificante e vão abastecendo o reservatório parcialmente com óleo novo, o que é válido somente entre uma troca e outra. Isso, contudo, não substitui a troca dentro do prazo recomendado. Em geral, os intervalos de troca variam de 4.000 km a 15.000 km.

Caso o lubrificante fique velho, ele perde a eficiência pois sua viscosidade diminui e o produto fica contaminado por combustível e partículas de metal do motor. Nessa situação, haverá maior desgaste de todas as peças do motor, além de acelerar o acúmulo de carbonização interna, o que pode levar à parada do motor e necessidade de retificação.

Medição incorreta do nível de óleo

É normal que o motor consuma pequenas quantidades de lubrificante, principalmente os mais antigos ou com a vedação deficiente por falta de manutenção. Desse modo, é permitido completar o nível entre uma troca e outra. Mas não se esqueça que essa prática não substitui a troca periódica.

E como medir o nível do lubrificante? Posicione a moto em um piso plano, mantendo-a nivelada. Faça isso sempre com o motor desligado e frio para garantir que todo o óleo que circula no motor terá retornado ao cárter.

Posso usar óleo lubrificante de carro?

Utilizar um produto desenvolvido para carros levará a uma lubrificação deficiente, visto que a maioria das motos possui motor, engrenagens do câmbio e embreagem integrados, no mesmo conjunto. Ou seja, utilizam o mesmo lubrificante.

- Publicidade -

Desse modo, os lubrificantes de motos recebem aditivos para oferecer um nível de proteção superior contra desgastes – a maioria dos motores de motocicletas atingem rotações mais altas que a dos carros de passeio. 

Usar viscosidade diferente da recomendada

É muito importante seguir o manual da motocicleta ao escolher a viscosidade do lubrificante, uma vez que isso garantirá que o óleo chegue rapidamente a todas as partes do motor, especialmente as mais sensíveis.

Atualmente, existem os óleos sintéticos, que duram mais e fazem com que as peças do motor cheguem à temperatura ideal mais rapidamente.

Esquecer de trocar o filtro de óleo

A recomendação, na maior parte dos casos, é substituir o filtro de óleo a cada duas trocas do lubrificante. Sua troca regularmente também é importante, pois o filtro acumula resíduos e óleo velho, perdendo sua função de filtragem com o tempo.

- Publicidade -