Meritor anuncia novo diretor geral para a América do Sul



Após 19 anos na companhia, o agora ex-diretor geral Silvio Barros anunciou que se aposentará ao fim deste mês, deixando um legado de evolução tecnológica na empresa. O até então diretor financeiro Adalberto Momi foi anunciado pela Meritor como o sucessor de Silvio Barros, profissional que dedicou seu trabalho à fabricante de eixos e sistemas para o drivetrain por quase duas décadas.

Ex-diretor geral Silvio Barros


Momi, que já está na Meritor há 40 anos, terá a missão de continuar este legado deixado por Barros, mantendo a credibilidade e modernização marcantes da empresa, ao mesmo tempo em que espera expansão nos negócios. “Prosseguiremos com as estratégias utilizadas pelo meu antecessor, Silvio Barros, que posicionaram a empresa em um alto patamar de competitividade e qualidade nestas duas últimas décadas”, explica Adalberto Momi.

Adalberto Momi, novo diretor-geral da Meritor


O executivo chega ao posto em um momento em que a empresa enxerga sinais de recuperação no setor de pesados para fornecimento de equipamentos originais. A companhia acaba de contabilizar o melhor mês de maio em volume de produção de eixos dos dois últimos anos e prevê crescimento na produção de caminhões já em 2017.

Adalberto ainda acrescentou que enxerga sinais de recuperação da macroeconomia, como a criação de novos postos de trabalhos, além das reformas da previdência e trabalhista, que estão em pauta no congresso. Aliado a estes indicadores, há também as concessões de aeroportos, a safra agrícola ‒ que deverá chegar a mais de 230 milhões de toneladas de grãos, maior fluxo de veículos pesados pelas estradas pedagiadas, estoques reduzidos das montadoras e uma frota de caminhões Euro III, vendidas em 2011 durante o período recorde de vendas no país que já apresentam oportunidade de renovação.

“Acreditamos que o volume de vendas irá crescer e apresentar patamares bastante superiores frente aos últimos dois anos. Há alguns gargalos que ainda são preocupantes, como a instabilidade política, dólar instável, frota inativa nos pátios das transportadoras e a dificuldade da reação da cadeia produtiva para o aumento da produção. Contudo, as chances de retomada são grandes”, explicou o novo diretor geral da Meritor para a América do Sul.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php