Mahle adquire banco de provas para testar motores mais modernos

No novo banco de provas a margem de erro cai de mais ou menos 2% para 0,4%
No novo banco de provas a margem de erro cai de mais ou menos 2% para 0,4%

O Centro Tecnológico Mahle de Jundiaí/SP investiu em um novo banco de provas de motores visando testes e validação de motores alinhados com a atual realidade da indústria, ou seja, cada vez menores e mais potentes. Esses motores, que seguem a filosofia “downsizing” (com menor número de cilindros e menor capacidade cúbica, porém com potência semelhante aos de maior cilindrada), já são bastante comuns em outros continentes e agora começam a se popularizar no Brasil. Seu desenvolvimento exige equipamentos mais modernos e eficientes para sua perfeita validação, afirma a Mahle.

De acordo com a empresa, bancos de provas convencionais fazem testes de avaliação de desempenho de forma estacionária, ou seja, em regimes de rotação e carga constantes. Esse tipo de avaliação, fornece análises pontuais, mas não reproduz sua utilização na vida real em situação de uso na cidade ou estrada, explica a Mahle.

Já o novo banco de provas permite reprodução de um ciclo real de utilização, qualquer que seja a sua aplicação: cidade, estrada, um circuito misto etc., isto é, testando como o motor se comportará com o usuário final. Esse tipo de avaliação permite maior precisão na medição dos níveis do consumo de combustível e dos índices de emissões de poluentes, portanto, maior realidade nos números obtidos nos ensaios.

Maior precisão no desenvolvimento de componentes para motores downsizing
Maior precisão no desenvolvimento de componentes para motores downsizing

A Mahle afirma que, se em um banco convencional a margem de erro de avaliação é de mais ou menos 2%, no novo banco a margem de erro cai para mais ou menos 0,4%, permitindo avaliação de novas tecnologias. “Esse novo banco de provas, devido ao seu alto grau tecnológico, permite avaliações dinâmicas em motores modernos sejam eles de alta performance ou de tecnologia downsinzing”, diz Everton Lopes da Silva, Chefe da Engenharia Experimental de Avaliação de Motores e novos Componentes do Centro Tecnológico MAHLE. “Portanto, estamos preparados para as exigências dessa nova realidade de mercado”, conclui Silva.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php