Importador chileno investe na marca VW

O presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Roberto Cortes, participou ontem (31/5) da inauguração da maior importadora oficial da marca fora do Brasil, do Grupo Maco, em Santiago, no Chile. A empresa investiu R$ 16 milhões em suas novas oficinas e escritórios exclusivamente dedicados às linhas de caminhões Worker e Constellation, além dos chassis de ônibus Volksbus. Ao todo, a Volkswagen Caminhões e Ônibus possuem 32 representantes em toda a América Latina, África e Oriente Médio.

“Fazemos questão de prestigiar mais esse investimento da Maco, nosso representante chileno desde 1985. Também aconteceu em Santiago o primeiro lançamento dos caminhões Constellation fora do Brasil, em novembro de 2005, apenas um mês após apresentarmos os produtos aos consumidores brasileiros”, disse Cortes.

A nova sede da Maco segue os padrões do Grupo Volkswagen, como a construção em aço, madeira e vidro, que aproveita ao máximo a luz do sol nos escritórios, e tem um show-room com capacidade para 15 caminhões e ônibus. A localização é estratégica, numa área de 80 mil metros quadrados às margens da rodovia Norte-Sul, a mais movimentada da capital chilena.

Nas oficinas há muito espaço e tecnologia, com boxes de serviço que podem atender simultaneamente a até 42 caminhões. A cabine de pintura tem 16 metros de comprimento, cabendo até um ônibus urbano inteiro em seu interior. O óleo retirado dos motores em revisões periódicas é bombeado para reservatórios e enviado para reciclagem, como todos os resíduos das novas instalações, sendo certificada pela Corporação Nacional do Meio Ambiente.

O Chile possui um dos mercados mais competitivos do mundo, disputado por 19 diferentes marcas de caminhões. O país também tem a mais exigente legislação sul-americana para controle de emissões de gases e ruído, pois foi o primeiro na América do Sul a adotar as normas européias Euro III. Suas características geográficas também são um desafio para os veículos, com altitudes e temperaturas extremas tanto em áreas desertas quanto na Cordilheira dos Andes.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php