Honeywell produzirá 10 milhões de turbos em 2012

A Honeywell Turbo Technologies anunciou a estimativa de produzir mundialmente 10 milhões de turbocompressores. O número seria devido ao aumento dos pedidos das fábricas em razão do processo de downsizing dos motores, ou seja, a contínua adoção de blocos turboalimentados de menor tamanho e número de cilindros, capazes de emitir menos CO2 (dióxido de carbono) por economizarem combustível em relação a blocos maiores. A mudança é motivada pelas legislações ambientas se tornarem cada vez mais rígidas, principalmente na Europa.

O diretor-geral da Honeywell na América do Sul, José Rubens Vicari, explica que o downsizing se reflete na substituição dos motores de quatro cilindros pelos de três cilindros, entre os quais, o Ford Sigma, com 900 cm3 de cilindrada, e o Fiat TwinAir, do Fiat Cinquecento, com apenas dois cilindros e 900 cm3. “Naturalmente, o conjunto turbo e injeção direta garante desempenho igual ou até superior aos motores maiores, com a vantagem adicional de reduzir o consumo de combustível e os níveis de emissão de CO2, além de manter um excelente padrão de dirigibilidade para os veículos”, salienta Vicari.

O executivo estima que, até o final desta década 85% dos carros produzidos na Europa serão equipados com sistemas de turboalimentação, e que a média mundial será em torno de 70%, dependendo da participação dos veículos turbodiesel nos Estados Unidos. O presidente afirma que a Honeywell pretende conquistar pelo menos 50% de participação nos futuros lançamentos previstos pela indústria, e que o processo é irreversível. “Não existe motor diesel que atenda às legislações ambientais sem o auxílio do turbocompressor. E o mesmo vai ocorrer com os motores a gasolina, enquanto os carros elétricos não forem comercialmente viáveis, em termos de tecnologia de baterias e de fontes de suprimento”, finaliza Vicari.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php