Hengst apresenta novo sistema de filtro de óleo

Hengst filtro de óleo Blue.on

Alternativa ao filtro rosqueável de óleo clássico não exige que toda a unidade seja substituída e descartada, substituindo apenas o elemento filtrante

 

A Hengst apresenta o sistema de filtro de óleo Blue.on, lançado pela primeira vez na produção em série. Segundo a empresa, essa alternativa ao filtro rosqueável de óleo clássico iniciará sua produção para atender o motor diesel de 1,5 litro do Opel Astra.

Seu sistema consiste em um invólucro e um tubo projetados como componentes vitalícios com desvio de filtro integrado e válvula de retenção. Além disso, o elemento de filtro é totalmente incinerável, único componente que ainda precisa ser substituído quando o filtro é trocado. Outro ponto positivo, segundo a Hengst, é que o Blue.on economiza até 90% da massa residual produzida pelos filtros rosqueáveis de óleo convencionais.

Além do Astra, outros modelos no futuro serão adaptados às novas gerações de motores e, com os produtos Blue.on, a Hengst é capaz de atender à forte demanda por quantidades flexíveis e curtos ciclos de desenvolvimento. Esse sistema modular inclui modelos com diâmetros de 67 e 77 mm, cada um disponível nos comprimentos de 67, 77 e 87 mm.

Isso permite a cobertura de cerca de 90% de todas as aplicações rosqueáveis comuns de carros de passeio. Além disso, são possíveis adaptações específicas do cliente em termos do elemento do filtro (escolha e processamento do meio filtrante) e design da válvula (pressão de abertura e fechamento, vazões etc.).

A Hengst destaca que os filtros rosqueáveis são sistemas fechados. Por isso, não é possível verificar a função de seus componentes individuais, podendo levar a problemas no motor a longo prazo, especialmente ao usar produtos de substituição baratos. Existe, por exemplo, o risco de a eficiência do filtro ser inferior ao produto original, permanecendo partículas maiores no circuito de óleo, o que danifica permanentemente os componentes sensíveis, como o turbocompressor.

Outro ponto é que uma válvula de retenção com uma pressão de abertura muito baixa também pode, através do desvio, resultar em óleo contaminado remanescente não filtrado no circuito de óleo. Além disso, se a capacidade de absorção de partículas do meio filtrante for muito baixa, isso também representa um alto risco, porque um filtro obstruído por partículas funciona permanentemente no modo de desvio.

Atualmente, cerca de 800 milhões de veículos em todo o mundo utilizam filtros rosqueáveis de óleo, de modo que nesses sistemas fechados convencionais toda a unidade deve sempre ser substituída e descartada. Com o Blue.on, porém, somente o elemento filtrante totalmente incinerável precisa ser substituído durante a manutenção.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php