Ford comemora 98 anos de Brasil e 90 anos do fim da produção do Model T



A Ford registrou, em maio último, dois marcos importantes que fazem parte da história da indústria automotiva no Brasil e no mundo: os 98 anos de instalação da empresa no Brasil e os 90 anos do fim de produção de seu primeiro produto montado no País, o lendário Modelo T.

O Modelo T é considerado o principal responsável pela inserção do carro em várias sociedades mundiais no início do século XX, entre elas a brasileira, formada principalmente, na época, por cafeicultores e comerciantes. Introduzido nos Estados Unidos no final de 1908, o Modelo T começou a ser montado no Brasil quando a Ford se instalou no País, em 1919, há quase um século, em um galpão no centro de São Paulo. O veículo impulsionou a expansão da marca e em 1925 estabeleceu o recorde anual de 24.250 unidades no mercado local.

Vendido pelo equivalente a US$ 850, foi o primeiro carro de massa acessível, usando peças padronizadas e intercambiáveis. O preço da versão básica do “Lizzie” – um dos apelidos mais populares do carro – caiu para apenas US$ 260 no final dos anos 30, como resultado dos ganhos de eficiência na montagem e da redução de custo repassada para os clientes.

Carro Universal

O Ford Modelo T vendeu no mundo mais de 15 milhões de unidades durante seus 19 anos de vida. Como parâmetro do seu sucesso, basta dizer que em meados da década de 1920 o “carro universal” da Ford representava mais da metade dos veículos existentes no mundo. Antes do lançamento do Modelo T, que foi o nono veículo criado por Henry Ford, a marca tinha produzido só 25.000 veículos.

Para diferenciar o sucessor do Modelo T a Ford foi buscar um nome no lado oposto do alfabeto, e optou por Modelo A, que já havia usado nos seus primeiros anos. Mesmo trazendo muitos aprimoramentos em relação ao Modelo T, principalmente nos aspectos de conforto, segurança e design, o Modelo A ainda era um carro acessível. Seu preço variava de US$ 385 na versão “roadster” até US$ 1.200 na configuração urbana.

Entre os avanços de segurança, tinha vidro com proteção contra estilhaçamento, freios nas quatro rodas e para-choques de série. Ele também produziu mudanças na estrutura da Ford, que criou os primeiros departamentos de cor e design para o seu desenvolvimento.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php