Orientar o motorista sobre a importância da manutenção preventiva também é papel do mecânico, e a troca dos filtros automotivos no prazo certo pode evitar muita dor de cabeça tanto para o cliente quanto o reparador. Por isso, o consultor técnico da Mann-Filter, André Gonçalves, disponibiliza algumas dicas sobre os principais sintomas que indicam a necessidade de substituição dessas peças.

Filtro de ar: André explica que o proprietário deve ficar atento se o veículo apresentar aumento repentino no consumo de combustível, o que pode estar relacionado ao filtro do ar. Isso acontece porque o filtro tem como função reter a sujeira do ar aspirado para a mistura ar/combustível na câmara de combustão e, se estiver muito sujo, o motor faz mais força para puxar o ar e aumenta do consumo de combustível. Para veículos leves, a troca deve ser feita no prazo recomendado pelo fabricante do veículo ou, no máximo, com 1 ano de uso. Para veículos pesados, o período de troca é determinado pelo indicador de restrição do veículo, instalado próximo à saída de ar limpo da carcaça do filtro.

Filtro de cabine: tem a função de impedir a entrada de fuligem, poeira e gases tóxicos da fumaça dos carros no interior do veículo. Quando está saturado, pode provocar mau cheiro no interior do veículo, perda de eficiência do ar-condicionado e embaçamento dos vidros internos. Segundo André, é possível constatar visualmente as condições dos filtros de cabine e do elemento filtrante do ar, e quando toda a área até o fundo das dobras estiver impregnada, a peça está saturada. Outros indícios do fim da vida útil são as imperfeições na geometria das dobras, falhas na vedação e danos no papel. Mas, independentemente da aparência da peça, o prazo para trocas que consta no manual do proprietário deve sempre ser respeitado.

Filtro de combustível: quando entope, o filtro de combustível causa perda de potência, já que o motor passa a puxar mais ar que combustível e, com isso, o motorista é obrigado a acelerar mais. Além disso, pode provocar o entupimento dos bicos injetores e a queima da bomba de combustível.

Filtro do óleo: os sinais de desgaste deste filtro não são tão claros, explica André. “Por isso, recomendamos sua substituição a cada troca de óleo lubrificante, realizada de acordo com manual de manutenção do veículo”, diz o especialista. Isso porque o óleo sujo utilizado além da quilometragem especificada pelo fabricante causa borra no motor e pode até fundi-lo. Além disso, a não troca do filtro reduz a durabilidade do óleo novo no motor. O consultor técnico da Mann-Filter ainda observa para o uso severo do veículo. “Em grandes centros urbanos, onde existem congestionamentos frequentes, apesar de este veículo não estar rodando, ele está com o motor ligado e com o óleo circulando entre as galerias e, por consequência disso, ele aquece e se contamina antes do prazo estabelecido pelo fabricante”, alerta.