Advertisement


Desde 2014, José Paulo Albanez, atua como Coordenador Estadual do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no segmento que estuda e desenvolve estratégias para as oficinas mecânicas. A entidade privada auxilia as micro e pequenas empresas, categoria onde estão incluídas a maioria das oficinas no Brasil.

Nesta entrevista exclusiva, ele revela quais são as principais dificuldades que o empresário do setor enfrenta e como atua para resolver os problemas do dia a dia.

REVISTA O MECÂNICO: Qual a estimativa que o SEBRAE tem da quantidade de oficinas mecânicas e centros automotivos no Brasil?

JOSÉ PAULO ALBANEZ: Estudos apontam o número de 123.236 como total de empresas de reparação de veículos no Brasil, para o Estado de São Paulo são 34.200 empresas, os dados são de 2018. Na média nacional, deste total de 123.236 empresas, 61% são de oficinas mecânicas, 11% de colisão (funilaria e pintura), 6% de compostos, as borracharias e 22% representam as lojas de acessórios e serviços elétricos. No Sudeste, particularmente no Estado de São Paulo, estes percentuais são muito próximos das participações das subclasses deste segmento automotivo.

O MECÂNICO: Atualmente, qual é o perfil do proprietário de oficinas e centros automotivos?

…muitos empresários sofrem, pois realizam a dupla função de maneira precária

ALBANEZ: Em pesquisa realizada pelo SEBRAE-SP em 2017 (com total de amostra de 400 empresas, sendo 319 da reparação mecânica e 81 de funilaria e pintura) apontam algumas
características deste segmento, 93% dos empresários são do sexo masculino, 50% destes empresários estão na faixa dos 40 aos 49 anos, 84% com ensino médio completo/ superior incompleto.

Na formação técnica, 60% dos entrevistados aprenderam na prática e 40% cursaram o SENAI e fazem atualizações e reciclagens regularmente. A pesquisa mostrou ainda que 81% dos entrevistados, não fizeram cursos para administrar o negócio, muitos empresários sofrem, pois realizam a dupla função de maneira precária. Neste cenário, surgem os desafios para elaborar o planejamento financeiro eficiente e que sirva como suporte para tomadas de decisões estratégicas e operacionais.

O MECÂNICO: Como os empresários da mecânica de automóveis estão se adaptando as mudanças do mercado no que diz respeito a tecnologia, atendimento ao cliente e gestão da empresa?
ALBANEZ: O negócio da mecânica de automóveis exige atualização técnica constante, com o lançamento anual de diferentes modelos das diversas marcas, com as mudanças em tecnologia embarcada, novos motores a combustão e elétricos, entre outras novidades. Uma grande falha das empresas deste ramo é a falta de padronização em atendimento nos seus processos. Não apenas dentro da oficina na área de reparo e execução, mas no setor de atendimento ao cliente também, outra falha é no pós entrega. Eles não consultam o cliente sobre a satisfação dos serviços prestados, não executam ações de comunicação com o cliente, não incentivam a manutenção preventiva. Atualmente a manutenção corretiva tem sido a prática neste mercado, o que demonstra neste sentido, uma oportunidade de melhora no atendimento ao cliente.

negócio da mecânica de automóveis exige atualização técnica constante, com o lançamento anual de diferentes modelos das diversas marcas…

O MECÂNICO: Quando os proprietários de oficinas mecânicas ou centros automotivos procuram o SEBRAE, quais a principais dúvidas que eles querem esclarecer?

ALBANEZ: Normalmente, as principais dúvidas são relacionadas aos controles financeiros, como adequar as contas despesas X receitas, como calcular o preço de venda e na divulgação da empresa, como conquistar novos clientes. A questão de gestão das pessoas, também vem ganhando muita importância para o empresário, pois a dificuldade de retenção dos talentos, é cada vez mais uma preocupação constante no negócio.
O MECÂNICO: Os empresários mais experientes do setor estão se adaptando as mudanças? Eles buscam informações, investem em equipamentos e novas tecnologias?

ALBANEZ: O profissional que atua neste segmento, encontra o itinerário de capacitação na norma técnica brasileira NBR 15.681, as normas técnicas da ABNT são fundamentais para orientar os profissionais automotivos e estabelecer padrões da qualidade dos serviços. O setor de reparação de veículos é uma das áreas que mais desenvolveram normas, justamente para balizar e aperfeiçoar os procedimentos adotados durante o reparo de um veículo, que é algo complexo e exige conhecimento, técnica e precisão.

Os investimentos em equipamentos/tecnologias são cada vez mais necessários, mas exige um bom planejamento financeiro para sua aquisição, pois, os valores são altos, e neste instante, em muitos casos, o empresário não está preparado e com capital de giro para investir este montante.

O MECÂNICO: Como ocorre a sucessão nas oficinas? O pai passa para o filho, vende para outro empresário ou simplesmente encerra as atividades?

ALBANEZ: O cenário atual, não apresenta um quadro para a sucessão de forma natural como era no passado, os jovens têm buscado outras opções de carreira, principalmente as relacionadas com a Internet. É necessário dizer que a função do mecânico é cada vez mais tecnológica e menos operacional, a limpeza e organização são cada vez mais fundamentais nos processos, isto pode reverter o interesse do jovem em aceitar os desafios da carreira no segmento automotivo.

O MECÂNICO: Qual o caminho para o empresário da mecânica de automóveis mante seu negócio lucrativo?

ALBANEZ: Para que o empreendedor do segmento da mecânica de automóveis faça a diferença, ele tem que estar atento ao mercado, ou seja, buscar conhecimento, participar de fóruns, cursos e treinamentos e estar aberto às novas tecnologias e tendências.

O MECÂNICO: Quais os programas que o SEBRAE oferece para auxiliar os proprietários de oficinas mecânicas e centros automotivos?

ALBANEZ: Os diversos cursos e consultorias do SEBRAE-SP visam ao atendimento das necessidades e exigências das micro e pequenas empresas deste importante segmento, para ampliar e melhorar as competências em termos de gestão e continuidade dos negócios. O programa é de 45 horas, especialmente elaborado para os empresários das oficinas mecânicas, o programa dura em torno de 4 meses e os encontros são realizados nos 33 escritórios do SEBRAE-SP no Estado de São Paulo. O horário é no período noturno. Esse programa foi desenhado para solucionar as dores dos empresários das oficinas, baseado em pesquisas que mostram os grandes problemas na gestão deste segmento.

O MECÂNICO: Qual o futuro dos empresários da mecânica de automóveis?

ALBANEZ: As oficinas mecânicas precisam trabalhar em sinergia e estar preparadas para as novas tecnologias automotivas e os avanços nos processos de gestão, a fim de entregar serviços de qualidade e com agilidade para um mercado cada vez mais exigente e qualificado. Entre 2000 e 2018, houve na média uma produção nacional de veículos, em torno de 2 milhões de unidades por ano, enquanto neste mesmo período, 44 mil oficinas mecânicas fecharam no Brasil. Portanto, temos um desafio muito grande, em manter este importante segmento da cadeia automotiva, de forma competitiva, oferecendo qualidade e segurança ao consumidor.