Entrevista: Além do limpador de para-brisa

ed-272-entrevista

 

A Trico, inventora e fabricante do sistema de limpeza do para-brisa completa 100 anos de atividades. A empresa tem atuação global e a unidade brasileira é estratégica nos negócios. Nesta entrevista exclusiva, Renato Cabral, diretor presidente da Trico, executivo com mais de 30 anos de experiência no setor automotivo, explica o que envolve o desenvolvimento das peças, as estratégias de comercialização, revela a aquisição de uma concorrente e afirma, “tivemos um crescimento significativo em nossas vendas em 2016”. Ele lidera as operações da Trico no mercado sul-americano, conduz duas operações no Brasil e uma na Argentina, os produtos são distribuídos em todos os países da região.

 

Revista O Mecânico: Como é feito o desenvolvimento de uma palheta? Quais as tecnologias envolvidas no processo?
Renato Cabral: O desenvolvimento de produto de maneira geral na Trico segue um rigoroso processo de controle de qualidade e testes. Utilizamos a mais moderna e inovadora tecnologia na concepção de produtos. Isto inclui equipamentos de testes e softwares proprietários, resultado de 100 anos de experiência da nossa corporação. Um dos softwares mais interessantes na minha opinião é o que simula um túnel de vento virtualmente, aumentando a eficiência do desenvolvimento e diminuindo seus custos.

Importante frisar que a Trico desenvolve todo o sistema de limpeza do para-brisa, o que inclui além da palheta, o braço e o mecanismo de acionamento com o motor elétrico. Isto envolve um intenso trabalho de engenharia, uma vez que, além dos aspectos ambientais, como efeito estufa, poluição, aos quais o sistema vai estar exposto, temos que vencer os desafios dos novos formatos dos vidros do para-brisa e as necessidades de qualidade de limpeza que são muito grandes.

 

O Mecânico: Comparado a Europa e Estados Unidos, a qualidade das palhetas produzidas no Brasil é satisfatória?
Cabral: Posso garantir que os produtos produzidos no Brasil seguem rigorosamente os padrões de qualidade e tecnologia de produção de qualquer parte do mundo. Tenho muito orgulho de produzir um produto deste nível no nosso país.

 

O Mecânico: O mercado brasileiro passa por momento de queda. As vendas para as montadoras sofreram retração?
Cabral: O ano de 2016 foi épico no Brasil por vários aspectos. A queda na indústria automotiva foi intensa, com aproximadamente 25% de retração na média. Na Trico, nosso time executou um trabalho espetacular e conseguimos reverter esta queda com novos programas que tomamos da concorrência e sucessos nos lançamentos de plataformas as quais somos parceiros, como a do Jeep Renegade, Jeep Compass e Fiat Toro. No final das contas, tivemos um crescimento significativo em nossas vendas em 2016. Nada a reclamar, ao contrário! Agradeço ao nosso time e a confianças de nossos clientes.

 

O Mecânico: O segmento de reposição aqueceu neste período de crise?
Cabral: Sim, cresceu significativamente. A crise adiou algumas decisões de compra dos veículos novos, e os proprietários optaram por realizar manutenções nos veículos até a situação da economia melhorar. O desafio no segmento de reposição é a entrada de produtos que não seguem o mesmo padrão de qualidade, e nem mesmo têm qualquer responsabilidade com o mercado local, cito principalmente as “importadoras de oportunidade”.

Na Trico, a venda de reposição tem uma importância grande, pois, fornecemos ao mercado de reposição independente produtos com os mesmos padrões de qualidade dos fornecidos para as montadoras, razão pela qual a Trico investe fortemente neste segmento de mercado.

 

O Mecânico: Qual a importância para a matriz da unidade brasileira da empresa? Qual o planejamento da matriz para os negócios brasileiros na atual situação de mercado?
Cabral: Com a atuação global da nossa empresa e o Brasil estando no sétimo lugar em produção automotiva, a nossa presença na região é estratégica. Os investimentos continuam e recentemente fizemos uma aquisição da operação de fabricação de braços e palhetas da Federal-Mogul nos EUA, Itália e no Brasil. Estaremos completando esta transação em 31 de maio de 2017. Isto é mais uma prova da importância e comprometimento da Trico com o mercado da América do Sul.

 

O Mecânico: Os consumidores estão cientes de que é necessário revisar com frequência as palhetas? Eles entendem que as palhetas são importantes para a segurança?
Cabral: Considero que a conscientização dos nossos clientes é um desafio que tem que ser liderado pelos fabricantes. A Trico realiza ações constantes para atingirmos este objetivo. Nem sempre os consumidores entendem a importância dos itens de segurança em seu veículo, razão pela qual nosso time de campo enfatiza que limpadores de para-brisas são itens de segurança e devem ser checados periodicamente, assim como os demais itens do veículo.

 

O Mecânico: O mecânico independente é importante no processo de conscientizar o usuário da importância de trocar as palhetas?
Cabral: No segmento de palhetas, o “formador de opinião” é o aplicador do produto, seja ele mecânico ou instalador. O profissional tem que estar treinado e consciente do seu papel para repassar aos seus clientes a importância da utilização de produtos de qualidade nos veículos.

 

O desafio no segmento de reposição é a entrada de produtos que não seguem o mesmo padrão de qualidade, e nem mesmo têm qualquer responsabilidade com o mercado local…

 

O Mecânico: A empresa faz ações de treinamento com os mecânicos?
Cabral: A Trico realiza treinamentos junto aos aplicadores do produto (instalador e/ou mecânico), tais como montagem e desmontagem de palhetas, aplicação correta do produto, baseado nas especiações técnicas do para-brisa onde o produto será aplicado. Embora as medidas sejam semelhantes, existem outros fatores que devem ser levados em consideração ao indicar o produto certo para cada veículo. Este tema é insistentemente abordado em nossos treinamentos.

 

O Mecânico: O início do ano traz novas perspectivas. O que esperar em 2017?
Cabral: O crescimento do mercado, se houver, será ínfimo. Trabalhamos hoje com previsão de crescimento zero na produção total de veículos. Algumas plataformas continuarão crescendo, como as de B-SUV (veículos utilitários esportivos de pequeno porte como o Jeep Renegade). A Trico executa muito bem a estratégia para superação deste momento. Nossa estratégia está baseada em levar cada vez mais para o mercado inovações tecnológicas e soluções, além de buscar segmentos de mercado pouco explorados. A Trico em 2017 completa 100 anos de existência, e este tema é parte de nossa estratégica de crescimento junto ao mercado, pois somos os inventores do sistema de limpadores de para-brisas dos veículos, e esta informação será enfatizada ao longo deste ano, pois são poucas as empresas centenárias atualmente no mercado. Isto nos deixa orgulhosos e confiantes para o futuro dos negócios da Trico globalmente.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php