Confira o processo de substituição do platô e disco em uma unidade ano 2012 da primeira geração do hatch

por Gustavo de Sá fotos Lucas Porto

A embreagem é o componente responsável por fazer a ligação entre o motor e o câmbio do veículo. Para o bom funcionamento do sistema, é necessário fazer o uso correto dele. Evitar apoiar o pé sobre o pedal esquerdo nos momentos em que não é necessário engatar nenhuma marcha é um dos cuidados essenciais para a longevidade da vida útil do conjunto.

Não segurar o carro com a embreagem em aclives (subidas) também pode provocar o desgaste prematuro do sistema. E foi este o diagnóstico do modelo desta reportagem, um Citroën C3 de primeira geração, ano 2012, com apenas 46.500 quilômetros rodados.

O proprietário havia relatado barulho no sistema de embreagem, mesmo quando o pedal não está acionado. Para realizar o diagnóstico, antes da desmontagem é preciso verificar se o problema está na embreagem ou no câmbio. “É importante remover o cilindro escravo da embreagem e checar se o barulho persiste. Caso continue, o problema não está relacionado à embreagem, mas, sim, ao câmbio. Se o ruído cessar, o defeito deve ser na embreagem”, explica o técnico da Valeo, Neilson Amorim. Outros sintomas relacionados a falhas do conjunto são trepidação do pedal durante o debreamento, patinação do sistema (mesmo com a marcha engatada e o pé fora do pedal, o giro do motor sobe, mas o veículo não traciona) ou cheiro de queimado (superaquecimento). O procedimento de substituição foi realizado pelo mecânico Moacir Medina, proprietário da oficina 3M VIP em São Bernardo do Campo/SP São Bernardo do Campo/SP, e validado pelos técnicos da Valeo Neilson Amorim e Hideraldo Batista.

DESMONTAGEM

1) Desconecte o polo positivo da bateria.

2) Com uma chave canhão de 7 mm, remova a fixação do filtro de ar.

3) Utilize uma chave de 8 mm para soltar a conexão do polo negativo da bateria.

4) Solte os conectores ligados ao módulo, com cuidado para não quebrar. Remova o módulo.

5) Solte as presilhas e remova a bateria.

6) Solte as fixações do suporte da bateria com uma parafusadeira e um soquete 10 mm. Desconecte os plugues e remova a caixa para ter acesso aos coxins.

7) Remova o conector da ré.

8) Com um soquete 13 mm, solte o parafuso de fixação do cabo terra.

9) Solte o cabo terra.

10) Solte os cabos do trambulador com um alicate de bico.

11) Remova os 2 parafusos superiores da caixa seca com uma catraca com soquete 13 mm e uma extensão curta.

12) Para remover os coxins, é necessário sustentar o motor. Para isso, instale uma ferramenta especial, conhecida como travessa ou suporte de sustentação do motor. Cada motor possui a indicação do ponto de apoio onde deve ser colocada a travessa.

13) Utilize uma parafusadeira com soquete 15 mm e um extensor curto para remover os 2 parafusos da parte superior do coxim.

14) Erga o carro no elevador para dar sequência ao procedimento de desmontagem, agora na parte inferior do veículo. Remova o suporte do cano do cilindro de embreagem com um soquete 13 mm. É importante a retirada do suporte para que ele não rasgue tubulações ao redor do câmbio na hora da retirada.

15) Com uma chave 13 mm, retire o atuador de acionamento da embreagem (conhecido como cilindro escravo).

16) Use uma chave torx 30 e uma chave de fenda para remover as presilhas do acabamento plástico da caixa de roda do lado do motorista.

17) Remova a peça plástica da caixa de roda. É importante retirar esta peça para ter espaço livre para a remoção do câmbio.

18) Solte os 2 parafusos do coxim estabilizador do câmbio com um soquete 16 mm e uma catraca.

19) Com um soquete 18 mm, solte os 2 parafusos da barra central.

20) Remova o conector branco do velocímetro com a mão.

21) Solte os 3 parafusos da caixa completa dos cabos de marcha com um soquete 13 mm. É importante a remoção completa para não danificar os cabos, que podem estar ressecados.

22) Para remover o motor de arranque, retire os 3 parafusos com soquete 13 mm e uma catraca. Afaste o motor de arranque para remover o câmbio. Não é necessário retirar os conectores do motor de arranque.

23) Com uma chave torx 45, remova o parafuso do suporte do escapamento, que é preso na caixa seca do câmbio.

24) Utilize uma chave e-torx 16 e uma extensão longa para remover os 4 parafusos do quadro da suspensão.

25) Com uma chave 17 mm, prenda o parafuso do pivô de um dos lados. Do outro, use um soquete de mesma medida para soltá-lo. Faça isso nas duas rodas do eixo dianteiro.

26) Hora de esgotar o óleo do câmbio. Utilize uma chave de sacar bujão. É essencial fazer o descarte correto do óleo usado, de acordo com a legislação vigente.

27) Afaste as tulipas da junta homo cinética com as mãos, já que elas são presas somente por pressão.

28) Com um soquete 30 mm, solte a ponteira da homocinética para colocar o eixo no chão (lado do motorista). No lado oposto, basta apenas afastar a tulipa.

29) Com as mãos, desconecte o sensor de rotação do volante. Com um canhão de 10 mm, solte-o. A retirada do sensor é indicada por precaução, já que ele pode ser danificado por algum descuido na hora de remover o câmbio – o que pode encarecer desnecessariamente a manutenção.

30) Com um soquete 13 mm, remova 2 dos 3 parafusos inferiores da caixa seca do câmbio. O terceiro deve ser removido após o passo seguinte.

31) Posicione o cavalete sob o câmbio e, aí sim, retire o último parafuso inferior da caixa seca do câmbio.

32) O rolamento do câmbio está desgastado em excesso no carro desta reportagem devido à má utilização da embreagem, de acordo com o mecânico. Isso acontece, por exemplo, quando o motorista dirige com o pé no pedal de acionamento da embreagem nos momentos em que não é necessário engatar nenhuma marcha.

33) Na mola-membrana do platô, também é possível ver o desgaste por mau uso.

34) Remova os parafusos do platô com uma chave e-torx 40 – não é necessário removê-los em ordem de cruz.

MONTAGEM

35) Faça a retífica do volante de acordo com a recomendação do fabricante.

36) Realize a limpeza da caixa seca utilizando um pincel, água e sabão. É preciso examinar ainda o estado do garfo da embreagem. Se estiver gasto, substitua.

37) Na maioria dos modelos da PSA (Peu geot e Citroën) e Renault só é possível saber qual o kit de embreagem correto para instalação depois da desmontagem. Há dois tipos de rolamento para o Citroën C3: com abas (à direita na imagem) e sem abas (à esquerda). Neste carro, o kit original é do tipo sem abas. O novo kit instalado, portanto, possui a mesma configuração daquele que foi retirado.

38) Utilize graxa resistente a altas temperaturas para lubrificar o garfo e o rolamento nos pontos de apoio da caixa de câmbio. Tome cuidado para não usar graxa em excesso para não haver contaminação do disco.

39) O disco de embreagem possui a indicação do lado correto de montagem. A inscrição “lado do câmbio” na peça significa que ela deve ser instalada no “lado do platô”. Quando o disco é montado do lado errado, as molas encostam no parafuso do volante, não possibilitando o encaixe correto.

40) Encaixe o conjunto com a ajuda dos guias do platô. Coloque também os parafusos, mas sem fazer o aperto. Faça a instalação do eixo-piloto com a peça de alinhamento do disco.

41) Faça o aperto do conjunto em forma de cruz, aplicando 2 kg de torque nos parafusos.

42) O processo de reinstalação da caixa de câmbio e demais componentes segue o inverso da desmontagem, observada a orientação do passo seguinte.

43) Com o processo de montagem quase terminado (antes da reinstalação do filtro de ar) e o carro posicionado no solo, abasteça o cárter do câmbio com 2 litros de óleo recomendado pelo fabricante (Petronas Tutela ZC 75W-80 sintético). É recomendada ainda a troca do fluido hidráulico do acionamento da embreagem para prolongar a vida útil do cilindro de acionamento e do atuador escravo.