Honda Civic Si sai de fábrica envenenado, mas continua com as qualidades dos veículos da marca

texto e fotos Leonardo Barboza

 

Lançado em 2007 o Honda Civic Si conquistou o coração de muitos entusiastas e apaixonados por performance e preparação em veículos. A primeira geração foi produzida em Sumaré/SP, além do visual esportivo, a versão Si do sedã se diferenciava das demais principalmente pelo motor 2.0 aspirado com duplo variador de fase nos comandos, o famoso (i-VTEC). Nomeado pela fabricante como K20Z3, rendia 192 cv de potência a 7.800 rpm e 19,2 kgfm de torque a 6.100 rpm, com limitador a 8.400 rpm.

 

Em 2011, o Si deixava de ser produzido no Brasil e em 2015, substituído pelo Civic Si Coupé importado do Canadá, com motor 2.4 de 206 cv e 23,9 kgfm. Atualmente a Honda quebrou os paradigmas e na nova geração vem com um 1.5 turbo de 208 cv a 5.700 rpm e 26,5 kgfm de 2.100 a 5.000 rpm encerrando a era dos Si aspirados.

 

Por tratar-se de um esportivo, a Honda manteve no Si o cambio manual de seis velocidades, que conquista a todos com seus engates curtos e bastante justos. Além do conjunto motor e cambio, o esportivo conta com direção elétrica progressiva e amortecedores adaptativos. Para checar as condições de manutenção, diagnósticos e reparos do coupé, contamos com o olhar técnico de Nilson Patrone, mecânico e proprietário da oficina Power Class localiza na região do ABC em São Bernardo do Campo/SP.

 

Nilson Patrone – Oficina Power Class

 

 

TEST DRIVE

 

 

Antes de levantar o Si, levamos Nilson para conhecer melhor o modelo em condições de rodagem, em um pequeno percurso de oito quilômetros pela Rodovia Anchieta e depois nas ruas do bairro. Embora o motor seja turboalimentado, a calibração da injeção é bem gradual, fazendo com que a potência e torque aumente suavemente eliminando aquela famosa grudada no banco quando a turbina pressuriza completamente. “A impressão que passa é de um motor aspirado como nos modelos anteriores.” Comentou Nilson.

 

Outro elogio feito pelo mecânico foi o sistema de suspensão. “O Civic pode até não ser o veículo mais rápido porém o acerto da suspensão nesse carro é impressionante”, afirma ele que já fez preparação até no Ferrari Califórnia.

 

 

PREPARAÇÃO

 

O Civic Si vem com 208 cv e 26,5 kgfm original de fábrica, mas a brincadeira pode ir muito além disso. “Tudo começa com o primeiro estágio da preparação onde é feita a reprogramação do módulo de injeção eletrônica adicionando de 38 a 40 cv e 5,5 kgfm a mais. No segundo estágio além da reprogramação é retirado o catalisador do veículo e instalado o famoso dowpipe que pode aumentar 45 cv e 6 kgfm. Não satisfeito, temos o terceiro estágio que adiciona upgrade na turbina e filtro de ar K&N, gerando 65 cv e 8 kgfm, elevando o Si para nervosos 273 cv e 34,5 kgfm.” Explica Nilson.

 

MANUTENÇÃO PERIÓDICA

 

Para manter a fera com todo esse apetite é sempre bom estar com a manutenção em dia . O mecânico conta que a manutenção é bem simples. Começando pelo capô do motor que permite colocar a vareta em duas posições proporcionando a abertura de até 90°. Itens de revisão periódica como troca dos filtros, substituição das velas tem acesso super tranquilo e não exige o uso de ferramentas especiais. Se a manutenção for mais profunda como por exemplo a troca de um sistema de embreagem, manuteção de uma turbina ou a troca da bomba de combustível de alta.”O espaço fica mais limitado mas nada grave.” Relata Patrone.

 

 

SUSPENSÃO/UNDERCAR

Comentado no teste drive realizado no início do Raio-X, um dos motivos da suspensão do Si ser tão agradável e justa ao mesmo tempo, são os amortecedores eletromagnéticos que permitem diversos tipos de dirigibilidade atendendo a todas necessidades. “O sistema é muito eficiente, porém tudo tem o seu preço. A substituição do conjunto por novos, elevam o custo ao proproprietário”, alerta ele. Continuando na parte de baixo do veículo e focado no sistema de escapamento, “o conjunto permite modificação tranquilamente devido ao formato bem reto da peça original”, explica.

 

Equipamento da Snap-on permite visualizar partes internas do motor em boa resolução

 

 

INJEÇÃO ELETRÔNICA

 

Com tanta eletrônica embarcada no veículo, é necessário estar bem munido de bons equipamentos de diagnósticos, para poder fazer a manutenção correta em um modelo desses. “Mesmo o meu scanner sendo de ponta, ainda não tenho a atualização desse veículo. Para eu ver informações do motor e freio de estacionamento, eu consigo acessar pelo Honda Civic Touring, mas as demais funções só vou conseguir diagnosticar quando chegar a atualização do aparelho”, comenta Nilson.

 

Além do scanner, quanto mais equipamentos tiver, mais preciso é o diagnóstico. É o caso do Snap-on video. “Já peguei defeitos por esse equipamento, que dificilmente conseguiria a olho nu”, finaliza Patrone.

 

 

FICHA TÉCNICA

HONDA CIVIC S

MOTOR

Posição: Dianteiro, transversal, turbo
Combustível: gasolina
Número de cilindros: 4 em linha
Cilindrada: 1.498 cm3
Válvulas: 16
Taxa de compressão: 10,3:1
Injeção de combustível: Eletrônica direta
Potência: 208 cv (G) a 5.700 rpm
Torque: 26,5 kgfm (G) a 2.100 rpm

CÂMBIO

Manual, 6 marchas, tração dianteira

FREIOS

Dianteiros: Disco ventilado
Traseiros: Disco

DIREÇÃO

Elétrica

SUSPENSÃO

Dianteira: Indep. McPherson
Traseira: Multibraço

RODAS E PNEUS

Rodas: Liga leve, 18 polegadas
Pneus: 235/40 R18

DIMENSÕES

Comprimento: 4.522 mm
Largura: 1.799 mm
Altura: 1.421 mm
Entre eixos: 2.700 mm

CAPACIDADES

Tanque de combustível: 47 litros
Porta-malas: 334 litros