Advertisement


Ford Ka FreeStyle 1.5 mostra acabamento caprichado e tem mecânica robusta e muito prática

texto e fotos: Leonardo Barboza

Em sua terceira geração, o Ford Ka surpreendeu dentro de um segmento exigente, no qual é necessário ter algo inédito para destacar em comparação aos concorrentes. Sendo assim, a Ford trouxe para o Ka FreeStyle o novo motor 1.5 TiVCT de três cilindros da nova família global Dragon. Este motor tem a maior potência e o maior torque do segmento: gera até 136/128 cv (E/G) a 6.500 rpm e torque de 16,1/15,6 kgfm a 4.750 rpm. Para não comprometer a economia de combustível e proporcionar mais agilidade nas retomadas, o motor é calibrado para entregar 89% da força máxima a apenas 1.500 rpm.

Além do novo motor, o Ka também vem equipado com a nova transmissão automática de seis velocidades, que tem conversor de torque integrado e conta com a opção de trocas manuais na alavanca do câmbio, o que proporciona um funcionamento suave, silencioso e eficiente.Para checar as condições técnicas de manutenção do aventureiro urbano, contamos com o olhar técnico de Roberto Montibeller, mecânico e proprietário da oficina High Tech, localizada na Lapa, zona oeste de São Paulo/SP.

- Publicidade -

Roberto Montibeller – Oficina High Tech

REVISÃO DE ROTINA

Ao abrir o capô, o mecânico notou que mesmo se tratando de um motor de três cilindros, ele ocupa espaço no cofre do motor, onde praticamente não é possível achar qualquer vão livre. Para ele, essa sempre foi uma das características dos motores da marca. Um ponto de atenção levantado por Roberto foi a grande quantidade de componentes antirruído e proteção no compartimento do motor. Sob o veículo existe um tampão de tecido que isola completamente o cofre, impedindo a entrada de poeira e lama.

“Esse tampão tem a finalidade exclusiva de impedir a entrada de sujeira no cofre do motor e melhorar sua aerodinâmica. Mas não se iluda, ele não é capaz de proteger o cárter do motor contra uma batida em valeta ou obstáculo”, disse Roberto.

O mecânico aponta que o cárter e a lateral do bloco do motor também estão todos forrados com uma proteção espessa de espuma emborrachada. Tudo indica que seja para para absorver o ruído gerado pelo motor.

- Publicidade -

No restante, os itens de revisão básica (filtro de óleo do motor, filtro de ar do motor e o filtro de ar de cabine) possuem ótima localização. Um ponto interessante é a ausência do filtro de combustível na parte externa do tanque. Roberto afirma que por mais que o pré-filtro (que vai na parte interna do reservatório de combustível, junto à bomba de combustível) seja eficiente, devido aos combustíveis de má qualidade em alguns locais, o ideal era ter um segundo filtro de combustível na parte externa do tanque. Isso ajudaria a ter mais eficiência no sistema, evitando que impurezas indevidas cheguem aos bicos injetores.

SUSPENSÃO

Por se tratar de uma versão aventureira, os amortecedores e molas do Ka FreeStyle foram recalibrados e os dianteiros ganharam sistema que utiliza o recurso stop hidráulico, permitindo um maior desempenho em todos os tipos de pistas e reduzindo a maioria dos impactos no volante, proporcionando muita suavidade e conforto aos ocupantes. O mecânico conta que a manutenção é bem simples. “A remoção dos amortecedores dianteiros e traseiros são feitas através da retirada dos parafusos de fixação das bases dos amortecedores que possuem facil localização na parte externa da carroceria”, relata.

TRANSMISSÃO

A transmissão automática de seis velocidades (modelo 6F15) também é novidade do modelo. Ela possui conversor de torque integrado e um avançado controle eletrônico de trocas que usa um sistema hidráulico com sete solenóides que permitem ao câmbio se adaptar ao estilo de condução do motorista para definir o momento ideal das trocas. Além disso, o novo câmbio usa óleo de ultra baixa viscosidade, que não requer troca durante todo o período de vida útil (240 mil km). “Porém vale a pena se atentar a qualidade do lubrificante em menor quilometragem em caso de condições de uso severo”, explica Roberto.

INJEÇÃO ELETRÔNICA

A injeção eletrônica do Ford Ka 1.5 de três cilindros é multiponto e possui sistema de partida a frio que utiliza velas aquecedoras em cada bico injetor, dispensando o famoso tanquinho de gasolina, que costuma dar muita manutenção por causa do uso incorreto. “O sistema de injeção eletrônica tem fácil acesso para remoção tanto da flauta quanto dos bicos e do corpo de borboleta”, comenta Roberto.

A bomba de combustível é onde fica o calcanhar de aquiles do projeto, que desde a sua 1ª geração para a manutenção do sensor de nível de combustível ou da bomba é necessário a remoção do reservatório por completo. “Seria tão mais facil se tivesse um acesso da bomba de combustível por baixo do assento traseiro como na maioria dos veículos. Alguns mecânicos chegam até a cortar a lataria para ter acesso, mas eu prefiro fazer da maneira correta, removendo o reservatório e torcendo para não estar cheio”, finaliza Roberto.

Novo Ka não possui acesso ao módulo de combustível por baixo do banco

FICHA TÉCNICA

FORD KA FREESTYLE 1.5 AT

MOTOR

Posição: Dianteiro, transversal
Combustível: flex
Número de cilindros: 3 em linha
Cilindrada: 999 cm3
Válvulas: 12
Taxa de compressão: 12,0:1
Injeção de combustível: Eletrônica multiponto
Potência: 136 cv (E) / 128 cv (G) a 6.500 rpm
Torque: 16,1 kgfm (E) / 15,6 kgfm (G) a 4.750 rpm

CÂMBIO

Automático, 6 marchas, tração dianteira

FREIOS

Dianteiros: Disco ventilado
Traseiros: Tambor

DIREÇÃO

Elétrica

SUSPENSÃO

Dianteira: Indep. McPherson
Traseira: Eixo de torção

RODAS E PNEUS

Rodas: Liga leve, 15 polegadas
Pneus: 185/60 R15

DIMENSÕES

Comprimento: 3.954 mm
Largura: 1.695 mm
Altura: 1.564 mm
Entre eixos: 2.491 mm

CAPACIDADES

Tanque de combustível: 51 litros
Porta-malas: 257 litros

- Publicidade -