Texto: Raycia Lima

Presente no Brasil há mais de 65 anos, a Nakata é uma das marcas mais reconhecidas do mercado de reposição, pelos componentes para suspensão, freios e motor. Atualmente, tem fábrica em Diadema/SP, sede administrativa e centro de tecnologia e desenvolvimento em Osasco/ SP e centros de distribuição, em Extrema/MG e Santo André/SP. Diretor de Vendas e Marketing da Nakata, Sergio Montagnoli, detalha planos da fabricante de autopeças para 2019 e destaca os mais recentes investimentos em treinamentos à distância para mecânicos.

Revista O Mecânico: Quais são os planos para 2019 da Nakata? empresa pretende expandir suas atividades ou deve focar nos serviços e peças já oferecidas?


SERGIO MONTAGNOLI: A Nakata está sempre inovando para acompanhar as mudanças do mercado. Além de ampliação constante do portfólio, aumentando a cobertura das linhas já existentes, temos interesse na expansão de novas linhas de produtos ao mesmo tempo que buscamos aprimorar nossos serviços, principalmente naquilo que pode melhorar a jornada do mecânico e sua experiência com nossa marca e produtos. Como exemplos: além do atendimento em garantia e assistência técnica já reconhecido e valorizado pelo mercado, desenvolvemos o Auto Stop Nakata, ação em conjunto com as oficinas para verificação das condições da suspensão do carro gratuitamente, beneficiando o consumidor final e a utilização das novas ferramentas do universo digital para atuar, tanto junto ao consumidor final por meio das redes sociais, visando aumentar a consciência da reparação preventiva, como também criando e aprimorando novos canais de informação e formação para os mecânicos, somando forças com nossos treinamentos presenciais também com grande prestígio e comparecimento, seja in loco, na oficina, seja em conjunto com nossos parceiros de negócio e no próprio SENAI.


O Mecânico: O que levou vocês a investirem no EAD e quais são os resultados obtidos nesse tipo de treinamento?


MONTAGNOLI: O EAD é a extensão de todo o conjunto de ações que realizamos para promover o conhecimento do mecânico, não só presencialmente como já mencionamos, mas também para disponibilizar conteúdo em uma plataforma digital que pode ser acessada por desktop, tablet, notebook e celular a qualquer hora e ainda oferece certificado. No EAD é necessário o desenvolvimento de um conteúdo em um formato muito próprio, que seja dinâmico, muito informativo para prender a atenção do aluno até o final, ofereça materiais de apoio, apresente trilhas para ele seguir aprendendo. Os resultados estão acima das expectativas iniciais, o que mostra a aprovação dos mecânicos. A nossa proposta é criar uma experiência para atualização de conhecimento por meio do digital acessível em qualquer lugar, do celular ou do computador, no tempo disponível para ele. Mas, mesmo assim, valorizamos e continuamos com os treinamentos presenciais, pois a sala de aula traz muitas trocas entre nossos instrutores e o profissional da cadeia.


O Mecânico: A empresa desenvolve produtos específicos para as necessidades brasileiras?


MONTAGNOLI: Especificamente para o mercado de reposição, temos uma grande variedade de produtos com foco na aplicação de toda a frota brasileira, pesada e leve. Hoje não tem como atender nosso grande mercado sem investir no desenvolvimento local e otimizar os produtos de acordo com a necessidade do cliente.


“O mecânico é fundamental no segmento da reparação. Nada acontece sem que ele participe: do diagnóstico à execução do serviço”


O Mecânico: Além dos treinamentos, qual apoio a Nakata oferece para os mecânicos independentes?


MONTAGNOLI: O mecânico é fundamental no segmento da reparação. Nada acontece sem que ele participe: do diagnóstico à execução do serviço. Da decisão da marca, passando pela instalação da peça e relacionamento com sua base de clientes no pré e pós-vendas. Nosso trabalho ao longo dos anos, tem nos aproximado ainda mais dos mecânicos, ouvindo, entendendo suas necessidades e podendo ofertar conhecimento no momento certo e do jeito que ele precisa. Do seu jeito. Portanto, além dos vários vídeos e dicas de manutenção, cursos presenciais e a distância, a grande novidade é a promoção Feras da Oficina, uma plataforma digital para que os mecânicos possam expor o conhecimento adquirido e trocar experiências. Nesta plataforma, os mecânicos ajudarão a construir uma grande base de conhecimento, validada pelos especialistas da Nakata: da diagnose às dicas de reparo e que também resultará em aumento de visibilidade e reconhecimento público do know-how e da experiência desta importante categoria de profissionais. Tudo prático, ao alcance das mãos, ou seja, no computador, tablet ou celular, de qualquer lugar, a qualquer hora. Aproveitando, convidamos a todos os mecânicos que participem, acessando o site promocional, publicando as suas dicas valiosas, ganhando muitos prêmios e reconhecimento público. Acesse www.ferasdaoficinanakata.com.br. O Feras da Oficina é para vocês!


O Mecânico: Teremos a Automec neste ano, quais as novidades que a Nakata prepara para esse evento?


MONTAGNOLI: A feira é a mais importante do setor e oferece a oportunidade de estar próximo do nosso público. Vamos levar todas as novidades de produtos e serviços. As nossas equipes de vendas, marketing, produtos e técnicos estarão prontas para receber os visitantes, levando para o estande o mesmo atendimento oferecido ao mercado, que é o nosso diferencial, nosso jeito de fazer negócio, estabelecendo um relacionamento próximo e levando soluções ao cliente. Com isso, esperamos aproveitar a presença os visitantes no estande da melhor forma possível, garantindo atendimento qualificado, além de apresentar os nossos serviços para que eles possam sair de lá com informações que sejam úteis para o seu negócio.

O Mecânico: Pesquisas realizadas por sindicatos do setor mostram que o mercado de reposição de peças automotivas deve crescer este ano. Como a Nakata vê esse cenário?


MONTAGNOLI: NO mercado de reposição vem apresentando crescimento contínuo devido à evolução da frota circulante, resultando em um cenário positivo com muitas oportunidades e ao mesmo tempo, desafiador. A complexidade para atender a demanda aumentou muito em função da diversidade de modelos de veículos e a necessidade de mais conhecimento para diagnóstico e solução dos problemas por conta da crescente tecnologia embarcada. Por isso, é preciso unir esforços e contar com muita colaboração entre os agentes do aftermarket para que não só a peça certa chegue na hora certa, assim que a necessidade surja na oficina, mas também para que os clientes tenham confiança e saiam satisfeitos com os serviços executados. Daí o firme propósito da Nakata em desenvolver soluções para que essa confiança e satisfação aconteçam em todos os níveis da cadeia de valor, estando próxima dos atores para poder ouvir, entender e inovar por meio de produtos e serviços que tornem o dia a dia dos profissionais do setor ainda mais efetivo.


O Mecânico: O fechamento da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo e outras fabricantes de automóveis ameaçando a saída do país, provocam qual efeito no mercado de reposição?


MONTAGNOLI: Apesar de casos como este, a previsão de venda de veículos zero Km é crescente para os próximos anos, tanto para veículos leves, como para os comerciais, o que fará com que a reposição continue atraente e em crescimento. A Nakata entende sua responsabilidade em dar cobertura para esta demanda em toda sua extensão de modelos e marcas com peças e serviços de qualidade. E não só para os fabricados no Brasil, mas também para os veículos importados que têm sido parte importante da frota e com forte presença nas oficinas e centros automotivos. Esse é o nosso negócio e isso nos dá agilidade para compor nosso mix de produtos e lançamentos, acompanhando o mercado em sua permanente evolução.


“Os resultados (do EAD) estão acima das expectativas iniciais, o que mostra a aprovação dos mecânicos”


O Mecânico: A Nakata já planeja investimento em peças que atendam o mercado de elétricos e eletrificados?


MONTAGNOLI: Somos especializados em componentes undercar e já analisamos os vários modelos existentes de veículos eletrificados para nos certificar que pouco impacto teremos nos componentes de direção, suspensão, freios e transmissão de força junto às rodas. Contudo, no futuro, seja nos eletrificados ou nos veículos movidos a combustível, tais componentes terão mais conteúdo eletrônico e estarão conectados entre si por sistemas inteligentes, visando melhor dirigibilidade e aproveitamento energético, maior estabilidade e segurança. Portanto, são para estas inovações que nosso time de pesquisa e desenvolvimento está voltado e, assim, poder atender o mercado tão logo façam parte do dia a dia das oficinas.