Cuidados com o fluído de transmissão automática

Cuidados com o fluído de transmissão automática - Foto: divulgação/Fuchs
Cuidados com o fluído de transmissão automática – Foto: divulgação/Fuchs

 

O lubrificante para transmissão possui diferentes finalidades além de lubrificar o conjunto do câmbio, como resfriar a transmissão, realizar a limpeza das peças, garantir a pressão correta do sistema, evitar que se formem depósitos de impurezas e borras, bem como proteger as peças contra a oxidação.

Alinhado ao fato de cada câmbio apresentar uma forma diferente de funcionamento, com temperaturas e componentes internos distintos, os fabricantes desenvolveram lubrificantes específicos destinados para cada tipo de câmbio, com propriedades que cumprem as demandas destas variações.

A utilização de lubrificantes incorretos ou não aprovados para determinado veículo, pode ocasionar falhas nas trocas automáticas de marcha e o travamento do sistema de transmissão como um todo.

Os lubrificantes para transmissões automáticas possuem uma formulação específica, uma vez que a transmissão conta com exigências maiores, como o controle de temperatura.

  

Diferenças entre os tipos de transmissão automática

O câmbio automático convencional funciona com um conjunto de discos que, em conjunto a um conversor de torque, acoplam-se para realizar a passagem das marchas, permitindo trocas suaves de marcha, com a ausência dos “trancos”, além de apresentar uma maior durabilidade em comparação aos outros tipos de transmissão.

O sistema de Câmbio Automatizado de dupla embreagem (DCTF ou DSG) utiliza duas embreagens que substituem o conversor de torque, realizando as trocas de marchas mais rapidamente.

O Câmbio de Transmissão Continuamente Variável (CVT), diferente dos outros modelos, não conta com engrenagem ou discos. Seu funcionamento é realizado por meio de uma ligação direta entre o motor e os eixos do automóvel.

Independentemente do tipo de câmbio, o processo de troca do fluído de transmissão automática deve ser realizado de forma cautelosa. É preciso atentar-se ao período de troca do fluído de transmissão automática, o qual geralmente está especificado no manual do veículo.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php