As principais características dos lubrificantes para híbridos

Poucos sabem, mas os veículos que prezam pelas baixas emissões de poluentes demandam óleos especiais e adequados para cada situações

As indicações para o uso correto de lubrificantes automotivos podem variam dependendo do tipo de veículo, clima, condições de condução e outras considerações específicas. No entanto, é essencial seguir a indicação do manual do proprietário, a viscosidade e fazer a substituição no tempo ou na quilometragem certa.

Daniel Gonçalves, proprietário da oficina mecânica Stone Motors, explica que o problema de óleo equivocado vem crescendo e atingindo veículos com baixa quilometragem. Segundo ele, cerca de 90% dos serviços estão relacionados ao mau uso de lubrificantes. Entre os problemas estão o entupimento por conta da borra ou superaquecimento, entre outros.

De olho no crescimento das vendas de carros híbridos e visando o futuro dos lubrificantes, as companhias de modo geral vem desenvolvendo opções variadas e sempre reforçando a necessidade de buscar um produto de qualidade. Conforme o número de emplacamentos, foram vendidos 8.497 carros eletrificados em setembro no Brasil, sendo o segundo melhor mês de 2023, atrás apenas de agosto, quando foram comercializados 9.365 veículos do segmento.  No acumulado do ano (janeiro a setembro), o volume é de 69.768, mais de 20 mil unidades se comparado ao ano todo de 2022, quando foram vendidos 49.245 veículos eletrificados.

“Carros híbridos demandam lubrificantes específicos, ou iguais aos de veículos a combustão, mas com diferentes pacotes de aditivos. Já os elétricos precisam de soluções de lubrificação diferentes. Queríamos trazer um produto de máxima performance, que promovesse redução de emissão de poluentes, que proporcionasse uma eficiente limpeza dos componentes do motor e redução no consumo de combustível. Conseguimos isso com o Lubrax Supera Premium”, explica Vanessa Gordilho, vice-presidente de negócios, produtos e marketing da Vibra, acrescentando que os novos produtos chegam nas viscosidades 0W-20 e 5W-30.

Lubrax Supera Premium 0W-20 e 5W-30 são recomendados para motores a gasolina, etanol, flex, GNV e híbridos

Tanto 0W-20 como o 5W-30 são recomendados para motores a gasolina, etanol, flex, GNV e híbridos. Dentro das especificações estão: API SP-RC, ILSAC GF-6A, GM6094A, GM 4718M, Ford WSS-M2C947-A, Ford WSS-M2C962-A1 e Chrysler MS-6395. Ambos superam os requisitos de especificação GM Dexos 1 e são adequados para utilização em motores com correias banhadas a óleo e com injeção direta, desde que seguidas as recomendações do fabricante. Outra informação é que o Supera oferece quase 5% de redução no consumo de combustível, segundo teste da API Seq VI E, graças a redução do atrito.

A Motul também lançou recentemente a linha NGEN Hybrid, projetado para atender às necessidades dos veículos híbridos e elétricos. O Motul NGEN Hybrid 0W-20 é um óleo lubrificante feito com óleos básicos de origem biológica 100% renovável.

Motul NGEN Hybrid 0W-20 é feito com óleos básicos

Vale destacar que os óleos para motores híbridos apresentam baixa viscosidade, 5W-30, 0W-20 e 0W-16. São lubrificantes com a função de limpar, reduzir desgaste dos componentes e funcionar rapidamente, uma vez que o motor térmico pode ficar desligado o dia inteiro, por exemplo, dependendo das situações. Por isso, é sempre importante seguir as indicações determinadas pelos fabricantes.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php