Superbanner - Texaco (30/08 a 24/01/24)

Câmbios automáticos precisam de cuidados especiais no calor

O calor é o maior inimigo do câmbio automático. Quem afirma é a APTTA Brasil (Associação de Profissionais Técnicos em Transmissão Automática), observando que o verão é uma época crítica para o aparecimento de problemas em veículos com esse tipo de transmissão, principalmente devido a superaquecimento.

Para o mecânico identificar esse tipo de problema, a associação aponta que basta analisar o fluido, que, na situação ideal, deve estar parecendo com o lubrificante novo, translúcido e mantendo a cor, geralmente vermelha ou amarela. Caso esteja marrom, é sinal de que foi degradado pelo calor extremo; e se chegar próximo ao preto, indica a presença de pó das embreagens queimadas. O radiador também pode contaminar o sistema, o que pode ser diagnosticado caso o óleo esteja opaco.

“Um teste de durabilidade feito nos Estados Unidos anos atrás comprovou como o controle da temperatura é fundamental para os automáticos. Quando mantiveram o sistema a 80oC, o fluido conservou suas propriedades após mais de 80.000 km. Ao ser ensaiado a 150oC, o lubrificante perdeu suas qualidades antes de atingir os 7.000 km, gerando desgastes prematuros em diversos componentes internos”, destaca Carlos Napoletano Neto, diretor técnico da APTTA Brasil.

A entidade ressalta, no entanto, que é possível manter os problemas sob controle caso alguns cuidados sejam tomados, tanto pelo dono quanto pelo mecânico. Entre eles, manter o veículo revisado, com atenção especial ao sistema de arrefecimento. Em muitos automóveis, além do motor, o sistema também é responsável por refrigerar o câmbio automático, por isso, líquidos, fluidos e lubrificantes também precisam ser checados e trocados com regularidade.

Outro fator que influencia a degradação do câmbio é o uso severo do veículo. Por isso, é essencial evitar as arrancadas fortes e o excesso de carga, situações que geram muito atrito e calor, desgastando a transmissão. Para evitar o desgaste, além dessas medidas, o mecânico deve orientar seu cliente sempre a aliviar um pouco o pedal do acelerador momentos antes de cada mudança, de forma a facilitar o engate automático e poupar os componentes internos.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php