Bosch destaca tecnologias de segurança nos veículos em Maio Amarelo

Bosch destaca tecnologias de segurança nos veículos em Maio Amarelo - Foto: divulgação/Bosch
Bosch destaca tecnologias de segurança nos veículos em Maio Amarelo – Foto: divulgação/Bosch

 

O movimento Maio Amarelo, tem como objetivo trazer à tona questões de segurança no trânsito brasileiro e de conscientizar a sociedade sobre o assunto. E, nesta última década, os sistemas de segurança e de assistência ao condutor da empresa evoluíram, mais veículos passaram a contar com as soluções embarcadas e a legislação do país também passou a exigir itens para tornar os veículos mais seguros.

Em 2013, menos de 20% dos veículos novos comercializados possuíam o Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP) de série. Já em 2023, esse item passou a ser mandatório em 50% dos veículos vendidos no Brasil. “Até o momento, 89% dos veículos vendidos aqui possuem essa tecnologia que mais salva vidas depois do cinto de segurança e, a partir do próximo ano, o item passará a ser item obrigatório em todos os novos veículos comercializados nacionalmente”, destaca o gerente de Marketing das Divisões Chassis Systems Control e Cross-Domain Computing Solutions da Bosch, Michel Braghetto.

As tecnologias ADAS (Sistema Avançado de Assistência ao Condutor), há alguns anos, eram aplicadas apenas em marcas premium, geralmente em importados, representando menos de 1% dos veículos vendidos. “Hoje, tecnologias como o Assistente de Permanência em Faixa (LDW), a Frenagem Automática de Emergência (AEB) e o Piloto Automático Adaptativo (ACC) estão mais populares e representam entre 15% e 30% das vendas no mercado brasileiro, sendo encontradas em veículos de quase todos os segmentos e com alto volume de vendas. Já em motos, também existem tecnologias de assistência ao piloto que estão presentes, por enquanto na categoria premium”, explica Braghetto.

  

Avanço na legislação

Nestes últimos 10 anos, a legislação brasileira também avançou e tornou mandatória a instalação de tecnologias de segurança que em 2013 não estavam previstas nos veículos produzidos localmente. A partir de 2014 isso mudou, com a exigência do airbag frontal e do Sistema Antibloqueio de Frenagem (ABS). Em 2019, foi a vez do ABS para motos acima de 300cc e o ESP® será obrigatório no Brasil em todos os veículos a partir de 2024.

“A discussão sobre a obrigatoriedade do sistema do AEB e do aviso de saída de faixa (LDW) já está em fase final e esperamos ter em breve a aprovação de mais uma conquista para a segurança veicular. Além disso, para os motociclistas, público bastante vulnerável em caso de acidentes, a adoção do ABS em motocicletas de baixa cilindrada é outra medida que também está em discussão”, sinaliza Braghetto.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php