Superbanner - Texaco (30/08 a 24/01/24)

Anfavea prevê queda de 27,4% no licenciamento de veículos em 2015

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) revisou na terça-feira, 6, em São Paulo, suas projeções para licenciamento, produção e exportação em 2015. A expectativa indica que haverá estabilidade nas vendas nos últimos três meses deste ano ao considerar que o ritmo de julho a setembro será mantido. De acordo com os novos dados, o licenciamento de autoveículos deverá apresentar queda de 27,4% este ano, enquanto a produção recuará 23,2%. Para Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea, existem perspectivas de manutenção do ritmo atual.

“Ao analisar o cenário conjuntural, acreditamos que o ritmo vivenciado de julho a setembro será mantido no quarto trimestre, o que indica estabilidade nas vendas nestes próximos três meses. Especificamente no caso das exportações, as condições atuais representam uma oportunidade para ampliarmos nossos negócios”.

625-ANFAVEA-OUTUBRO
Produção de veículos deve cair 23,2% em 2015


Ao contrário dos demais quesitos, as exportações tiveram seus números revisados para cima e deverá alcançar dois dígitos: a estimativa agora é de alta de 12,2%. Para o segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias, o setor acredita em uma redução das vendas em 32%, além de retração de 29,8% na produção e de 26,2% nas exportações.

Balanço mensal
Os dados mostram que o licenciamento de autoveículos novos caiu 3,5% em setembro, com 200,1 mil unidades, contra agosto, quando 207,3 mil foram vendidos. Na análise contra as 296,3 mil unidades do nono mês do ano passado a contração chegou a 32,5%. No acumulado de 2015 a indústria comercializou 1,95 milhão de veículos, o que significa baixa de 22,7% frente a igual período do ano passado, com 2,52 milhões.

O presidente da Anfavea, Luiz Moan Yabiku Junior, destaca que “o nível de confiança do consumidor e do investidor, em razão da conjuntura econômica, continua significativamente afetado e isso se reflete nos mercados de todos os segmentos”.

O resultado da produção em setembro, com 174,2 mil unidades, ficou 19,5% abaixo das 216,6 mil unidades do mês anterior e 42,1% menor ao se defrontar com as 300,8 mil de setembro do ano passado. A soma da produção no ano registra queda de 20,1% quando comparadas as 1,90 milhão de unidades com as 2,38 milhões de 2014.

As exportações no nono mês do ano chegaram a 33,5 mil unidades, baixa de 3,2% em relação a agosto, com 34,6 mil, e acréscimo de 28,7% contra as 26 mil de setembro de 2014. No acumulado as exportações somam 293,4 mil unidades, 12,3% acima em relação ao volume de um ano atrás, com 261,3 mil unidades.

Caminhões e ônibus
As vendas de caminhões novos em setembro apresentaram crescimento de 2% sobre agosto – 5,9 mil e 5,8 mil em cada mês – porém ficaram menores em 47,1% se confrontado com setembro do ano passado, com 11,2 mil unidades. No acumulado do ano as vendas chegaram a 55,5 mil unidades, o que representa redução de 43,9% frente as 99 mil unidades de 2014.

As fabricantes de caminhões expandiram a produção em 14,5% este mês: foram 5,8 mil unidades em setembro e 5,1 mil em agosto. Ao analisar o resultado do último mês com setembro do ano passado, com 11,8 mil unidades naquele período, a retração é de 50,6%. Até setembro deste ano as montadoras fabricaram 59,1 mil unidades, contração de 47,2% ante as 112,1 mil do ano passado.

As exportações no acumulado do ano aumentaram 11,2%, com 15,5 mil unidades este ano e 13,9 mil em 2014. Apenas em setembro 2 mil caminhões foram negociados com outros países, o que representa alta de 32% contra as 1,5 mil de agosto e de 27,1% se comparado com setembro do ano passado com 1,6 mil.

O licenciamento de ônibus apresentou estabilidade em setembro contra agosto, ambos com 1,3 mil unidades, mas recuou 40,8% na análise com setembro do ano passado, com 2,2 mil unidades. O resultado no acumulado, que registrou 13,7 mil unidades, está 31,2% inferior com relação as 19,9 mil de 2014.

A produção nos nove meses já transcorridos deste ano acumula 18,6 mil unidades e está 33,1% menor do que no ano passado, quando 27,8 mil chassis para ônibus foram fabricados. Em setembro 1,7 mil unidades deixaram as linhas de montagem, o que significa aumento de 54,2% frente as 1,1 mil unidades de agosto e declínio de 37,9% contra as 2,8 mil de setembro do ano passado.

As exportações de ônibus até setembro cresceram 6,9% – foram 5,2 mil este ano e 4,9 mil no ano passado.

Máquinas agrícolas e rodoviárias
As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias encerraram o mês com baixa de 6,8%, ao se comparar as 3,9 mil unidades de setembro com as 4,2 mil de agosto, e com contração de 40,5% ante as 6,6 mil unidades comercializadas em setembro de 2014. O resultado do acumulado do ano, com 36,9 mil unidades, ficou 29,8% inferior se comparado com as 52,6 mil unidades do ano passado.

A produção acumulada até o fim de setembro aponta declínio de 29,1% na comparação entre as 45,7 mil unidades de 2015 com as 64,4 mil no ano passado. Só no mês de setembro deixaram as fábricas 5 mil unidades – o que significa estabilidade em relação a agosto – e queda de 30% com relação as 7,2 mil unidades produzidas em setembro do ano passado.

As exportações no setor encerraram o último mês com 893 unidades enviadas para outros mercados – 24% superior do que as 720 de agosto e inferior em 35,3% em relação as 1,4 mil de setembro do ano passado. No acumulado foram 7,8 mil unidades, baixa de 26,2% contra as 10,6 mil de igual período do ano passado.

Envie um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php