Nakata apresenta novos itens de suspensão e direção para linha pesada



A Nakata, fabricante de autopeças com portfólio de componentes para suspensão, transmissão, freios e motor, lança diversos itens do segmento de suspensão e direção. São barras de reação, kits barras de reação e tirantes para caminhões das marcas Mercedes-Benz, Scania e Volvo, oferecendo ampla cobertura para mais de 60 modelos.

A fabricante vem investindo no aumento do portfólio para a linha pesada para oferecer soluções para os sistemas de direção e suspensão e transmissão.

Veja a tabela:





Heliar inaugura primeira franquia para o varejo



Atuando no Brasil desde 2012 com o modelo de franquias para o atacado, a Johnson Controls, fabricante das Baterias Heliar, inaugurou em janeiro de 2018 sua operação de franquias no varejo com lançamento da primeira loja em Sorocaba, no interior paulista.

“Decidimos expandir o modelo para o varejo, por identificarmos uma oportunidade de oferecer ao cliente um serviço diferenciado, em um local agradável que foge do convencional de uma loja de baterias”, diz o Vice-presidente e General Manager para o Cone Sul da Johnson Controls, Alex Pacheco. “Além disso, nossa loja foi pensada para ser um ponto de contato direto da Heliar com o consumidor final e para que ele tenha uma experiência otimizada, imbuída do DNA da nossa marca nos produtos e serviços oferecidos”, completa.

Para atuar no modelo de franquias de varejo com excelência, a empresa conta com a padronização de serviços e na referência em qualidade não só no mercado de reposição, mas também entre as montadoras. A meta inicial é ter cobertura nacional com a Heliar Service nos próximos cinco anos.




Ford apresenta nova versão esportiva off-road da Ranger na Ásia



A Ford apresenta a Ranger Raptor, nova versão off-road de performance da picape inspirada na F-150 Raptor, que será produzida na Tailândia para os mercados da Ásia-Pacífico. Além de estilo robusto, marcado pela grade dianteira com o nome Ford em letras grandes e porte elevado, o veículo tem chassi, motor, suspensão e freios desenvolvidos pela Ford Performance.

Projetada para oferecer alto desempenho e suportar as exigências da rodagem off-road em velocidade, a Ranger Raptor tem sob o capô um motor 2.0 diesel de duplo turbo e quatro cilindros, com potência de 213 cv e torque de 51 kgfm. Sua transmissão automática de 10 velocidades, robusta e avançada, é a mesma usada na F-150 Raptor .

A Ranger Raptor impressiona pelo porte maior em todos os ângulos, com 5,40 m de comprimento, 2,10 m de largura e 1,87 m de altura. Sua capacidade fora de estrada é reforçada também pela altura livre do solo 28,3 cm e pelos ângulos de entrada e saída de 32,5º e 24º, respectivamente. As rodas são de 17 polegadas com pneus todo-terreno 285/70 R17.

O chassi da picape é feito com ligas de aço de alta resistência e geometria especial para acomodar a suspensão reforçada, com amortecedores Fox exclusivos. Os freios poderosos têm pistões duplos na dianteira, com discos ventilados de 332 x 32 mm, e discos ventilados de 332 x 24 mm com booster na traseira.

Os para-choques feitos incorporam ganchos duplos para reboque com capacidade de 4,5 t na dianteira e de 3,8 t na traseira.

O sistema de gerenciamento de terreno da Ranger Raptor oferece seis modos de direção, sendo dois para estrada e quatro para fora de estrada, selecionados por comandos no volante. Os modos de estrada incluem a opção Normal, para conforto e economia, e Sport, com trocas rápidas.

Os modos off-road incluem: neve/grama/cascalho; lama/areia; pedra; e baja, que reduz a atuação do sistema de estabilidade e aumenta a resposta do acelerador para off-road em alta velocidade.




Renault acelera fabricação para entregar 10 mil Kwid



Para atender a demanda do Kwid, a Renault acelerou a produção no Complexo Ayrton Senna, no Paraná, com o objetivo de entregar 10 mil unidades do veículo até o fim de fevereiro. Se antes era necessário esperar mais de 40 dias pelo modelo, o aumento da produção já reduziu o prazo de entrega. O cliente que entrar no site hoje e comprar o seu Kwid irá recebê-lo em menos de um mês. Este prazo é informado diretamente no site no momento da compra e varia em função da versão, opcionais e cores.

“O Kwid é um sucesso desde a campanha de pré-venda. Após o seu lançamento, toda a Renault estava empenhada em cumprir os compromissos assumidos com os nossos clientes no Brasil, além de garantir os volumes para a Argentina e Uruguai, países em que o Kwid também já foi lançado, com grande procura. Aceleramos a nossa produção para reduzir o tempo de entrega para quem quer adquirir o SUV dos compactos”, afirma Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil.

Com a grande procura pelo Kwid, a Renault contratou 1.300 colaboradores e passou a trabalhar em três turnos completos desde outubro do ano passado. O Renault Kwid pode ser adquirido a partir de R$ 29.990, com financiamento de 60 meses, com parcela de R$ 469 e taxa de 0,99%, diretamente pelo site.




Campanha de recall preventivo da Toyota convoca Hilux, SW4 e Prius



A Toyota do Brasil convoca os veículos dos modelos Hilux, SW4 e Prius para recall preventivo dos airbags. Existe a possibilidade de alguns dos sensores dos airbags apresentarem uma falha interna. Se isso ocorrer, a luz de advertência do airbag acenderá no painel do veículo e, na hipótese de um acidente que reúna as condições para a deflagração do dispositivo, os airbags frontais, laterais e/ou de cortina (se aplicável) não serão acionados.

A campanha começará a partir de 26 de março de 2018, em que a Toyota realizará a inspeção e, se necessário, a substituição preventiva dos sensores do airbag dos veículos envolvidos, independentemente da luz de advertência acesa no painel. O tempo de inspeção é de aproximadamente 30 minutos, e o tempo de reparo pode ser de até 7 horas.

Para atendimento, os proprietários deverão entrar em contato com a Rede de Concessionárias Autorizadas Toyota ou Lexus, para agendamento prévio ou, então, pelo site www.toyota.com.br/web-agenda.

A relação de concessionárias autorizadas para atendimento está disponível no site www.toyota.com.br

Veículos convocados:
Toyota Hilux, fabricado entre 21/10/2015 e 07/03/2016. Chassis envolvidos: Código alfanumérico 8AJBA3CD*, 8AJDA8CD*, 8AJFA8CB*, 8AJHA8CD*, 8AJKA8CD*; Últimos 8 dígitos do chassi G1560001, G1568025, G1870000, G1870013, G2000003, G2000064, G2570013, G2572911, G3160003, G3160389.

Toyota SW4, fabricado entre 04/12/2015 e 21/03/2016. Chassis envolvidos: Código alfanumérico 8AJBA3FS*, 8AJBU3FS*; Últimos 8 dígitos do chassi G0020002, G0020056, G3000137, G3502006.

Toyota Prius, fabricado entre 13/10/2015 e 16/12/2015. Chassis envolvidos: Código alfanumérico JTDKB3FU*; Últimos 8 dígitos do chassi G3000137, G3502006.




Sabó é eleita pela 4ª vez como melhor fornecedora da General Motors

Portfólio Sabó na reposição



No ano em que completa 75 anos, além de todas as comemorações da marca por seu aniversário, a Sabó comemora prêmios.

No final de outubro, a empresa foi contemplada pela 4ª vez pela General Motors mundial, como uma das melhores fornecedoras, na 5ª edição do prêmio Supplier Quality Excellence Award.

A Sabó já foi premiada por 27 vezes pela General Motors Brasil dentre os melhores fornecedores do ano e por 3 vezes o melhor fornecedor mundial do ano.

“Ser reconhecido como melhor fornecedor da General Motors pela 4ª vez, só nos mostra que estamos trilhando o caminho certo de qualidade e tecnologia aplicada às soluções exigidas de acordo com as necessidades do mercado mundial. Estamos orgulhosos de ser mais uma vez reconhecidos!”, completa o Diretor Geral Sabó Américas, Lourenço Oricchio.




Toyota lança extensores de caçamba para Hilux

A Toyota lança linha de extensores de caçamba exclusiva para a picape Hilux. Os acessórios complementam as soluções oferecidas ao consumidor brasileiro, aplicadas para auxílio no trabalho de campo e transporte nos grandes centros urbanos.
Para toda a linha Hilux, a Toyota disponibiliza mais de 60 produtos genuínos. A lista completa pode ser acessada pelo site da companhia: http://www.toyota.com.br/modelos/hilux-cabine-dupla/acessorios/
As novidades são o extensor de caçamba com rampa que sai por R$ 2.199,99 (Aplicável nas versões Cabine Dupla), ideal para quem transporta motos na cidade ou no campo, e o extensor sem rampa que custa R$ 1.299,99.




Hengst explica os filtros de transmissão automática

Reduzir as emissões de CO2 e o consumo de combustível são os principais objetivos da indústria automotiva. O próprio filtro pode contribuir significativamente em casos da queda de pressão necessária para uma filtragem eficiente, além de proteger os componentes de transmissão contra o desgaste, aumentar o conforto e o prazer na condução do veículo. Pensando nisto, desenvolvemos um sistema de filtragem para atender estes requisitos.
Um filtro de qualidade permite mais eficiência de toda a Transmissão e maior vida útil dos componentes de transmissão.
Para mais informações sobre os filtros Hengst acesse o catálogo: www.hengst.com/pt-br/catalogo-online/




Alta Roda | Prevaleça o bom senso

Por Fernando Calmon*


O programa Inovar-Auto vigorou entre 2012 e 2017. Teve um viés protecionista e outro indutor de melhorias técnicas para diminuir consumo de combustíveis. Mesmo tendo dificultado as importações de veículos, há considerações a fazer.

Quando se planejou aquele regime, o mercado brasileiro havia passado a quarto maior do mundo e, assim, altamente atraente. O real tão valorizado em relação do dólar quase anulava a “proteção” de 35% do imposto de importação, alíquota máxima acordada na OMC (Organização Mundial do Comércio). Apesar de protestos justos dos importadores sem fábricas aqui, curiosamente apenas quase quatro anos depois houve iniciativas de alguns países de questionar o Inovar-Auto na OMC. Na prática, de pouco adiantou, pois o programa já chegava ao fim. Em outras palavras, a demora em reagir representou apenas vista grossa consentida.

Enquanto a burocracia interna também atrapalhava, sobraram como pontos positivos os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, além de um muito bem sucedido esforço induzido para reduzir o consumo de combustíveis de todos os veículos comercializados no País. Introduziu-se o conceito bem interessante de aumento de eficiência energética, medido em mjoules/km por modelo, que compatibilizou diferenças entre gasolina e etanol.



Os resultados foram muito bons. Na média entre 40 marcas comercializadas no País, o ganho no consumo médio ponderado foi de 15,4%. Segundo cálculos do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, os compradores de veículos leves passaram a economizar R$ 7 bilhões por ano em combustíveis e evitaram emitir 1 milhão de toneladas por ano de gás carbônico (CO2).

Houve também estímulo fiscal: redução de 1 ponto percentual do IPI (até 2022) para os fabricantes que chegassem a até 18,8% de economia. Sete alcançaram a meta-desafio: Audi, Honda, PSA, Mercedes-Benz, Renault, Toyota e VW. Duas, Chevrolet e Ford, superaram os 18,8% e ganharam 2 pontos percentuais de IPI.

A General Motors informou à Coluna que, na média, os carros de todas as marcas produzidos no Brasil evoluíram, em cinco anos, mais do que nos últimos 20 anos quanto à economia de combustível. No caso específico do Onix, modelo mais vendido no País, a evolução em cinco anos foi de quase o dobro em relação ao seu antecessor, o Corsa, produzido de 1994 a 2016 (23 anos).

Esse cenário deveria servir de base ao Rota 2030, novo programa esperado para o final de fevereiro. A indústria automobilística representa em torno de 4% do PIB brasileiro e recolhe 10% de todos os impostos. Só este dado representa uma distorção marcante. O que se discute, ainda, é um incentivo de R$ 1,5 bilhão por ano dentro de um universo de renúncia fiscal na economia brasileira que alcançou R$ 277 bilhões em 2015. O Governo Federal já diminuiu, de forma acertada, aquele montante.

Precisaria prevalecer, agora, o bom senso. Nova rodada de melhoria de eficiência energética será exigida dos fabricantes por mais 10 anos, em dois períodos quinquenais. É preciso continuar a investir em pesquisa e desenvolvimento. Sem nenhum incentivo, esse esforço sai do Brasil para o exterior. Simples assim.

RODA VIVA
FORD mostrou seu novo aventureiro Ka Freestyle com cinco meses de antecedência de sua chegada ao mercado. É um hatch de visual mais arrojado que a atual versão Trail e altura de rodagem um pouco maior. A fábrica não informou o trem de força, porém a coluna adianta: motor 1,5 L tricilindro (nacionalizado já a partir de março) e câmbio automático de seis marchas.

ANO de 2018 começou com crescimento acima do esperado. Sobre janeiro de 2017 cresceram as vendas (23,1%), produção (24,6%) e exportações (23,6%). Os estoques, por razões sazonais, ficaram no mês passado em 38 dias, pouco acima do ideal (30 dias) e do considerado normal (35 dias). Algumas previsões de vendas em 2018 subiram para mais 15%.

MOTOR V-6 turbo (dupla voluta) de 354 cv e nada menos que 51 kgfm de torque garante ao SUV Audi SQ5 acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 5,4 s. Preço também é desafiador – R$ 397.400 – mas inclui sistema de som 3D, projeção de informações no para-brisa, tração 4×4 permanente, rodas de 20 pol., recursos de condução semiautônoma e até porta-copos climatizado.

PRIMEIRA impressão é a que fica. Toyota não aceitou o adágio popular e melhorou níveis de acabamento e equipamentos do Etios. Tanto hatch quanto sedã começam a superar a fase inicial ruim. Parte mecânica nunca sofreu críticas. Ainda assim, os dois modelos receberam opção de caixa automática de quatro marchas, a preço competitivo e uso convincente no dia a dia.

HONDA tratou de repaginar o City, na versão 2018, para enfrentar tempos de concorrência com Virtus e Cronos. Para-choques dianteiro e traseiro, grade, lanternas e faróis de LED, airbags laterais de série e nova central multimídia para Android Auto e Apple CarPlay são as principais mudanças. Preços vão de R$ 60.900,00 (câmbio manual) a R$ 83.400,00 (câmbio CVT).

____________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2




TMD lança 8 aplicações de freio para Honda e Toyota



A TMD Friction do Brasil inicia 2018 com o lançamentos de 8 pastilhas dianteiras Cobreq, sendo 5 para modelos do Honda Civic – referência de catálogo N-1758 e 3 para modelos do Toyota Corolla – referência de catálogo N-1764.

Para os veículos Honda, as pastilhas são aplicadas nos Civic 2017 Touring 1.5 Turbo CVT, Civic 2.0 i-Vtec EX CVT, Civic 2.0 i-Vtec EXL CVT, Civic 2.0 i-Vtec Sport e Civic 2.0 i-Vtec Sport CVT. Nos veículos Toyota, ano 2015, as aplicações são para os modelos Corolla 1.8 16V GLI, Corolla 2.0 16V XEI e Corolla 2.0 16V ALTIS.