Evento

Nordeste em peso

Sucesso de público, Autonor 2017 reúne visitantes profissionais de toda a cadeia da manutenção e reposição automotiva da região que mais cresce no Brasil

por Fernando Lalli e Raíssa Jorgenfelth   fotos Fernando Lalli

 

Corredores lotados e sede de informação técnica. A Autonor 2017 (Feira de Tecnologia Automotiva do Nordeste) foi sucesso de público e expositores. Entre os dias 13 e 16 de setembro, o Centro de Convenções de Pernambuco em Olinda/PE, na Grande Recife, mostrou que não tem crise econômica que derrube a ascensão da Região Nordeste dentro do setor automotivo.

O fato mais marcante desta edição foi a mudança de horário, começou e terminou uma hora mais cedo do que o habitual: das 15h às 21h entre quarta e sexta e 14h às 20h no sábado. Parece pouco, mas o suficiente para mostrar o engajamento do público: os corredores permaneciam cheios mesmo 20 ou 30 minutos após o término das atividades oficiais.

Também pudera. Dezenas dos principais fabricantes de autopeças nacionais e multinacionais estiveram representados, seja em parceria com os distribuidores regionais ou com o próprio estande. Todos eles com o objetivo de estreitar contato com um público que muitas vezes fica distante das feiras e eventos do Sudeste e Sul do Brasil. Veja algumas das principais novidades que estiveram expostas na feira e a opinião de quem esteve lá:

 

CHIPTRONIC

Levou atualização de software do aparelho Diesel Diag, o simulador de testes para centrais eletrônicas ECU Test 3 Infinity voltado para leves, o codificador de chaves OBDMap Connect. “A feira superou nossas expectativas. O atendimento ao público foi muito grande. Viemos com uma equipe maior e mesmo assim a procura foi maior do que esperávamos”, contou o gerente Comercial Thiago César Jardim.

 

 

 

 

CONTITECH
Lançou na Autonor 38 kits de aplicação de bomba d’água, que incluem as respectivas correias e tensionadores para a troca completa do conjunto. “O Nordeste é um mercado muito importante para a Continental. É um mercado em ascensão, com uma frota que está atualizando e mudando muito. Nosso objetivo é expandir ainda mais nossa participação no mercado”, comentou o supervisor de Vendas Rodrigo Lima.

 

 

 

 

 

 

DAYCO
Presente à Autonor desde a 1ª edição, exibiu o kit de correia dentada da Amarok, as correias do up! e também a linha de mangueiras lançada este ano.
“Como fabricante numa feira, você tem responsabilidade não só nas tratativas comerciais como também em levar informação para o profissional que não pode ir até os grandes centros”, declarou Silvio Alencar de Almeida, diretor comercial para a América do Sul.

 

 

 

 

ELRING

Expôs o portfólio da marca com destaque para as juntas líquidas da marca Dirko e travantes químicos de roscas. “A Autonor é muito importante para as Regiões Norte e Nordeste. Nós, que temos grandes parceiros e clientes aqui, precisávamos estar presentes para apresentar nossas tecnologias e treinamentos”, contou o presidente da Elring no Brasil, Fernando Petrolino.

 

 

 

 

GATES

Aproveitou para lançar 42 itens em mangueiras para veículos leves. “Nossa participação no mercado de correias no Nordeste é de 60%. Nossos principais clientes distribuidores são monomarca. Não tem como ficarmos fora da Autonor”, contou a gerente Nacional de Vendas, Keli Osako. “Das 5 regiões do Brasil, nosso maior market share está no Nordeste”, completou Sidnei Aguilar Jr., diretor de Vendas e Marketing para o aftermarket.

 

 

 

 

GAUSS

Divulgou componentes de injeção eletrônica e ignição, com foco nas bobinas individuais do tipo caneta. “O Nordeste é uma região importante e carente de informação técnica. Principalmente o aplicador, que não consegue se deslocar para uma feira no Sul e Sudeste. Por isso, trouxemos o nosso palestrante, que ficou no estande tirando dúvidas”, apontou o gerente Comercial, Douglas Manguino.

 

 

 

 

ISAPA

Participando pela 3ª vez, a importadora de autopeças não tem a intenção de deixar a feira tão cedo. “Nosso retorno é fantástico. Nossas vendas aumentaram muito na região depois de participar da feira. Aqui temos uma linha muito forte de vans e picapes. Conseguimos uma condição de preço muito boa, o que nos deixa bem competitivos no mercado”, celebrou o gerente nacional de vendas, Marcelo Ferreira.

 

 

 

 

 

LNG

Teve como novidades os componentes da linha de bomba de direção hidráulica e caixa da direção. “Nós já participamos da Autonor há muitos anos. Hoje atendemos mecânicos, revendedores de autopeças, frotistas, atacadistas e todos que estão relacionados com o mercado de autopeças, e, na Autonor, recebemos visitas de pessoas de todo o Brasil”, afirmou Décio Agostinho, supervisor de vendas.

 

 

 

 

MANN-FILTER
Fez sua 1ª aparição na Autonor mostrando tecnologias em filtragem. Destacou seus mais de 50 lançamentos nos últimos 4 meses. “O Nordeste é uma região onde vemos uma grande oportunidade de crescimento da marca. Conforme avaliamos em anos anteriores, percebemos que a Autonor realmente é uma feira que tem potencial para nos ajudar na divulgação da nossa marca”, disse o diretor de Aftermarket, Pedro Ortolan.

 

 

 

 

 

MERITOR

Exibiu lançamentos recentes, como os óleos desenvolvidos para aplicação nos eixos diferenciais. Também destacou o projeto de estoque avançado de peças Meritor no Nordeste, ainda não aprovado. “Num país de grandes dimensões como o Brasil, para você ter sucesso, você precisa ter uma atuação local, de uma estrutura para aquela região”, observou o gerente Sênior de Marketing e Aftermarket da Meritor, Luís Marques.

 

 

 

 

 

RADIBRÁS

Fabricante de aditivos de líquido de arrefecimento e combustíveis e fluidos de freio, focou no distribuidor regional para fortalecer a marca na região. “A Radibrás começou em São Paulo, mas as primeiras parcerias foram no Nordeste, principalmente em Pernambuco. Por isso, estar na Autonor é muito importante. Temos uma venda expressiva na região”, afirmou o diretor da empresa, José Augusto de Camargo.

 

 

 

RADNAQ

Levou para a Autonor dois lançamentos: um produto para tirar chiado de correia e outro para limpeza de polo de bateria. “A feira em si é institucional e tem bastante clientes de outros Estados vindo nos visitar”, afirmou Luis Carlos Stefani, da Radnaq. “O mercado para nós está excelente, estamos em uma crescente. Nossa linha de aditivos é a principal do mercado”, comemorou.

 

 

 

 

RANALLE

Mostrou parte de sua linha, como o lançamento de tensores para os VW up! MPI e TSI, Jeep Renegade e Fiat Toro. Segundo a coordenadora de marketing da empresa, Leticia Ranalle Eleutério, “a importância da feira é podermos apresentar nossos produtos para a região e fidelizar o cliente, principalmente por ser uma região em ascensão e vemos cada vez mais a necessidade de estar próximo desse público”.

 

 

 

 

RAVEN

Exibiu na Autonor seu novo osciloscópio automotivo de três canais, que vem com pinça indutiva para análise de secundário de bobina. “Existe uma necessidade muito grande de um diagnóstico mais refinado para evitar trocar a peça sem necessidade. Por isso, fizemos esse osciloscópio com linguagem simples para que fosse fácil de usar pelo mecânico”, declarou Carlos Eduardo Ratão, gerente de Vendas da Raven.

 

 

 

 

 

SCHAEFFLER

 Destacou o kit do sistema de dupla embreagem (2CT) para a reposição e o FAG SmartSET: rolamentos cônicos engraxados de fábrica para pesados. “Participamos de todas as principais feiras pela oportunidade de estarmos próximos dos clientes regionais, nacionais, varejo e oficina. É esse o público que vai discernir sobre a qualidade das peças que serão indicadas”, declarou Airton Prado, gerente de Produto para o Aftermarket.

 

 

 

 

SUN

Levou desde analisadores de bateria, alinhamento, balanceamento, até os novos scanners PDL 3100 e 4100. “Na Autonor temos uma fatia de mercado bastante conceituada e bem expressiva em relação a outros estados. Nossas vendas dos últimos 6 meses foi alta nessa região depois que começamos a divulgar mais informações técnicas”, conclui o desenvolvedor de vendas e diagnóstico, David Guilherme Silveira.

 

 

 

 

TAKAO

Pela 3ª vez na feira, focou na frota circulante da região, com peças de motor para vans e picapes como Amarok, Ranger, Hilux e L200. “Em 6 anos,conquistamos credibilidade com o mecânico e o retificador, que em nosso estande viu que nosso portfólio vai além de pistões, anéis e bronzina. Desde o 1º dia, o volume de público foi muito forte”, contou o diretor executivo da Takao, Cassiano Braccialli.

 

 

 

 

TECFIL

Reforçou as novas embalagens com foto do filtro para facilitar no varejo e as linhas de filtros para linhas leve, pesada e duas rodas. “Gostamos muito desta feira porque o Nordeste é o reduto da Tecfil. Aqui, estamos presentes desde as capitais até o interior, e por isso é importante estarmos aqui para nos relacionar com esse público”, explica a supervisora de Marketing Simone Minhoto.

 

 

 

 

 

TENNECO

Levou as marcas Monroe, Monroe Axios e Walker, com destaque para o Quick-Strut (torre de suspensão montada completa de fábrica) e os terminais axiais. “A Autonor é o nosso principal canal de comunicação com profissionais que muitas vezes não podem ir à Automec. As regiões Nordeste e Norte do País representam uma parcela significativa da frota nacional”, disse Edison Carvalho, gerente de Vendas e Marketing para a Reposição.

 

 

 

 

VALCLEI

“O Nordeste é um mercado em constante alta e com um clima muito propício para o nosso produto”, comentou o sócio-diretor Valdir Ferreira Junior. O gerente de produtos Leandro Lúcio, por sua vez, destacou os lançamentos das carcaças de válvulas termostáticas dos motores VW EA211 e Cruze 1.8 Ecotec, além de capas plásticas de filtro de óleo ecológico e outros lançamentos.

 

 

 

 

WEGA

O CEO da empresa, Cristian Neto, acredita que a Autonor é o momento para se aproximar dos clientes e receber o feedback de suas necessidades.    “A Wega criou a marca no Brasil trazendo produtos que outras empresas não tinham. Então quando o cliente precisa de algum filtro muito específico, ele nos procura”, explica. Em seu estande, exibiu o portfólio e focou nos filtros de cabine.

 

 

 

 


 

 

Projeto Atualizar O Mecânico na Autonor

O estande da Revista O Mecânico nesta edição da Autonor tinha duas grandes atrações. Uma era o Audi A3 Attraction cedido pela Audi do Brasil para que os mecânicos conhecessem sua tecnologia de perto. Outra, foi o já tradicional Projeto Atualizar O Mecânico, ciclo de palestras gratuitas que mais uma vez levou informação técnica de qualidade diretamente do fabricante para o mecânico, ligando as pontas entre quem produz a peça e quem faz a aplicação, com o objetivo de solucionar dúvidas e enriquecer o conhecimento dos profissionais da mecânica de automóveis.
Nesta edição, as empresas Delphi, Hengst, KYB, SUN e Tecfil compartilham suas informações técnicas com os amigos mecânicos sobre sistemas como o gerenciamento eletrônico do motor, injeção, filtragem, entre outros. As palestras tiveram grande comparecimento e, no sábado, teve gente que, mesmo com lotação máxima na sala, não se importou em ficar de pé para absorver mais conhecimento. Um momento gratificante para os palestrantes envolvidos.

 

Delphi

 

Aproveitando o lançamento da linha de velas de ignição pela Delphi, a palestra do coordenador de Suporte ao Cliente Pedro José Valêncio Júnior abordou todo o sistema de alimentação, ignição e injeção eletrônica. “Destacamos alguns produtos novos que nós temos como injetores aquecidos, funcionamento de bomba de combustível e sistema flex de combustível”, explicou Pedro. As principais dúvidas dos participantes foram sobre a forma correta de instruir os clientes a abastecerem corretamente os veículos flex. “Tudo foi esclarecido tecnicamente e da melhor forma, para que eles pudessem passar para os clientes e ter um diagnóstico e uma reparação melhor do veículo”, afirmou o palestrante, que elogiou o interesse dos participantes nas informações técnicas. “Em todas as palestras, o nível de atenção ao que estávamos explicando era grande. Houve perguntas mesmo depois das palestras. Impressionante que ninguém me pediu brindes. Todos estavam buscando somente informação técnica”, concluiu.

 

Palavra do Mecânico:

Fiquei sabendo das palestras pela Revista. Sempre participo das palestras que eu posso. Tem detalhes que às vezes a gente fica com dúvidas e, chega uma ocasião dessas, a gente consegue tirar todas essas dúvidas. Por exemplo, pressão na linha de combustível e percentual de combustível nos carros flex. O pouco que a gente aprender é muito para melhorar nosso trabalho no dia a dia.

Geraldo Pereira, 60 anos, mecânico há 45 anos. Trabalha na oficina Geraldo Auto Serviços em Recife/PE

 

 

Hengst

 

 

As palestras da Hengst foram ministradas por duas profissionais do marketing da empresa, Tássia Safanelli (esq.) e Vanessa de Matos (dir.). O tema foi sistemas de filtragem e módulos de gerenciamento de fluidos, mostrando como a Hengst trabalha e a força que a marca tem no mercado original (OEM) e no de reposição. Na parte técnica, falaram do blue.maxx, tecnologia da Hengst para caminhões que rodam com sistema de dois filtros de combustível. “Hoje, quando é trocado o pré-filtro, é trocada a carcaça toda. Com o blue.maxx, vai ser possível trocar só o elemento filtrante interno”, explicou Vanessa. As palestrantes disseram que os mecânicos se mostraram interessados no tema e contaram suas experiências com os clientes que querem economizar evitando a troca de filtros, principalmente o de óleo e o de cabine. “Como eles são muito participativos, a gente acaba aprendendo também muito”, apontou Tássia.

 

Palavra do Mecânico:

Nasci dentro da oficina. Trabalhei muito tempo com Mercedes e Scania. Muito boa, a palestra. Principalmente por ser uma mulher, com um entendimento desse do que está acontecendo. Ela mostrou o vídeo da fábrica com mulheres fabricando filtro também. Está mudando, a coisa, e ela sabe do que está falando. Ela apresentou muitos produtos, inclusive que os filtros são originais Volvo.

 

Luiz Augusto de Freire, 40 anos, 21 anos como mecânico. Trabalha na oficina Tony Car em Campina Grande/PB

 

KYB

 

Fabricante de amortecedores, a KYB do Brasil também levou dois palestrantes ao Atualizar: o coordenador técnico Alexandre Parise e o gerente regional para Norte e Nordeste, Edmundo Vieira Gonzaga. Fornecedora para o mercado original no Brasil desde 1999 e atuando na reposição desde 2014, a KYB aproveitou o Atualizar para fazer uma apresentação institucional, falando sobre seus diferenciais técnicos com o objetivo de reforçar a marca para os mecânicos. “Tenho certeza que este foi o pontapé inicial para que possamos montar um plano de ação para que a informação chegue com mais facilidade a este público do Nordeste. Foi bem bacana a gente ter essa parceria com a Revista O Mecânico, que nos possibilitou essa oportunidade”, comentou Alexandre. “Basicamente, o pessoal quis saber quem é a empresa, qual é o produto. A nossa visualização na feira têm sido bastante importante. Vale muito a pena, temos que estar aqui sempre”, finalizou Edmundo.

 

 

Palavra do Mecânico:

Gostei da palestra, principalmente porque explicou o que são os amortecedores recondicionados. Ele mostrou que não tem jeito de recondicionar um amortecedor. O certo é a troca do amortecedor pelo novo. Amortecedor ‘recon’ não existe. Como o palestrante disse: se fosse bom, eles mesmos comprariam a ideia de fazê-lo.

 

 

Alexandre Pedrosa dos Santos (ao centro), 42 anos, mecânico e proprietário da oficina Pina Auto Center em Taquaritinga do Norte/PE

 

SUN

 

 

Além das palestras sobre scanner automotivo ministradas por David Guilherme Silveira, a SUN levou para o Atualizar as palestras sobre baterias automotivas, ministradas pelo consultor técnico Douglas Costa. A palestra abordou a importância da bateria no sistema eletrônico do veículo, já que os carros estão exigindo muito do sistema de carga e partida, portanto, dependem diretamente da qualidade do componente. “A bateria não é mais apenas para dar partida. Até a queima do combustível exige uma bateria em boas condições”, afirmou Douglas. O especialista também abordou os equipamentos de teste de bateria da Midtronics e como fazer o diagnóstico correto do sistema. “Ouvi perguntas interessantes durante a palestra. A curiosidade do público está aguçada. Isso é bom porque a tecnologia do carro está muito avançada. Já existem carros híbridos, elétricos e semiautônomos à venda em concessionárias brasileiras. Se o mecânico piscar, ele fica atrasado”, observou.

 

 

Palavra do Mecânico:

Eu gosto muito de manutenção, de veículos, de tudo isso. É um mercado complexo. Para você ver, uma simples bateria, que antes era de 6 volts, agora tem sistemas de 400 volts nos híbridos. O palestrante falou que até os bombeiros têm que fazer curso para saber que tipo de carro é esse. Voltaria com certeza para ver outra palestra.

 

José Alexandre da Silva, 42 anos, estudante de mecânica

 

Tecfil


Em sua palestra, o gerente do departamento de assistência técnica, Roberto Rualonga, procurou focar em um problema recorrente de aplicação: a troca do filtro por outro levando em conta sua aparência externa ao invés de consultar o catálogo da marca. “Esse erro pode gerar uma falha gravíssima no motor”, afirma Rualonga, que aproveitou a oportunidade do Atualizar para mostrar todas as ferramentas de busca que os mecânicos têm à mão para não cometer erros na compra ou aplicação da peça nova. “Ouvimos de mecânicos experientes que eles levavam em conta a troca do filtro de óleo pelo tamanho e pela rosca. Quem faz isso se esquece de que o principal de um filtro está dentro dele, que é a pressão de trabalho e eficiência de filtragem”, relatou o especialista, que elogiou o público. “Sempre estamos juntos nesses desafios. A Região Nordeste busca esse conhecimento e sempre traz resultado”, finalizou.

 

 

Palavra do Mecânico:

Achei a palestra excelente porque adquiri mais conhecimento do que o pessoal de lojas. Porque quando a gente vai fazer uma reposição de um filtro, o carro tem uma linha específica, e eles querem empurrar outra referência. E como eu tenho experiência, sabe que não dá certo, porque senão vai fundir o motor e prejudicar o nosso bolso. O cliente vai querer o carro dele bom, né?

 

Paulo André Martins Costa, 43 anos, 31 anos como mecânico. Trabalha na oficina Multimarcas em Garanhuns/PE